Fiocruz está mobilizada e atuante na prevenção e no combate à febre amarela

O aumento do número de casos de febre amarela em 2017 despertou a atenção das autoridades em Saúde do país. Combatida por Oswaldo Cruz no início do século 20 e erradicada dos grandes centros urbanos desde 1942, a doença voltou a assustar os brasileiros, com a proliferação de casos de febre amarela silvestre neste verão. Na última terça-feira (24/1), o Ministério da Saúde confirmou 438 casos suspeitos, registrados em Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, São Paulo e Distrito Federal. Das 89 mortes notificadas, 40 foram confirmadas e 49 permanecem em investigação.


Fiocruz : Febre Amarela



De acordo com especialistas da Fundação Oswaldo Cruz a vacinação em áreas endêmicas continua sendo a principal medida de prevenção, além do controle do vetor de transmissão da doença



Diante da gravidade do quadro, profissionais da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) das mais diversas especialidades estão mobilizados e atuantes na prevenção e no combate à febre amarela. A principal arma contra a doença continua sendo a vacinação, prevista no Programa Nacional de Imunizações (PNI) e oferecida em postos do Sistema Único de Saúde (SUS). Nesta área, destaca-se a atuação do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz), reconhecido internacionalmente como fabricante da vacina antiamarílica.


Outra preocupação do Ministério da Saúde e da Fiocruz é a disseminação de informação de qualidade em saúde, para evitar o sensacionalismo e a propagação de boatos, tão comuns em épocas de crise. Com essa missão, a Agência Fiocruz de Notícias (AFN) reúne neste especial as principais reportagens produzidas pela Fundação, esclarecendo dúvidas da população e orientando a imprensa no tratamento dos casos. As ações da AFN também estão articuladas com iniciativas nas redes sociais oficiais da Fiocruz, sobretudo em relação à imunização.


Fonte:
https://agencia.fiocruz.br/febre-amarela

Comentários