Combate à ameaça da febre de Lassa

Esta semana, o Centro de Controle de Doenças da Nigéria (NCDC) confirmou nove mortes e 20 casos decorrentes de novos surtos de febre de Lassa em sete estados da Federação. Houve três mortes e seis casos confirmados no Estado de Plateau, enquanto Nasarawa também registrou três mortes. Duas pessoas morreram no Estado de Ogun, uma das mortes foi registrada em Taraba dos seis casos confirmados, mesmo quando os Estados de Edo, Ondo e Rivers registraram um caso confirmado cada. Em 20 de dezembro de 2016, o NCDC confirmou um caso de um trabalhador de saúde que morreu no Centro Médico Federal, Abeokuta.

mastomys natalensis  


A Febre de Lassa é uma febre hemorrágica viral causada por um vírus de RNA da família do arenavírus. É comum em uma grande região de África Ocidental, e seu nome decorre da cidade Nigeriana onde foi descoberta por profissionais médicos Ocidentais. O vetor é uma espécie de rato chamado de Mastomys natalensis , que é encontrado nas pastagens e florestas . Além da Nigéria é endêmica na Guiné, na Libéria, e em Serra Leoa. Igualmente encontra-se esporadicamente nos países vizinhos devido à distribuição do habitat do rato sobre a região inteira.

Em 18 de janeiro de 2017, os sete estados ainda relatavam casos suspeitos de febre de Lassa , casos confirmados e mortes, bem como rastreamento de contatos já que o período máximo de incubação é de 21 dias . Os surtos recorrentes destacam o risco da febre de Lassa continuar retirando a vida dos nigerianos. O relatório do NCDC é o mais recente de uma série de surtos registrados nos últimos tempos desde o início da estação seca em dezembro de 2016. Anteriormente, em 2012 e 2013, a Nigéria registrou mais de 2.900 casos de febre de Lassa em vários estados. Entre agosto de 2015 e maio de 2016, a nação registrou um dos maiores surtos desse flagelo em sua história com 273 casos, incluindo 149 mortes em 23 estados do país. 

Em resposta à ameaça da doença, o Governo Federal inaugurou o Comitê de Erradicação da Febre de Lassa, para traçar um plano efetivo de resposta para controlar e prevenir a disseminação de futuros surtos e redução de mortes por febre de Lassa na Nigéria. Lamentavelmente, pode-se ver que a comissão ainda não está sendo eficaz no seu trabalho. Há mais de um ano que o Comitê recebeu seu mandato, mas a Nigéria continua registrando fatalidades em meio a incessantes de surtos de febre de Lassa. É necessário que os governos estaduais estejam mais comprometidos com a responsabilidade de dar atenção adequada às questões dos cuidados de saúde em geral e da febre de Lassa em particular. A observância e a melhoria da higiene comunitária através da eliminação adequada de resíduos e do armazenamento seguro de alimentos devem ser rigorosamente aplicados. Combater a ameaça da febre de Lassa é uma responsabilidade coletiva nos níveis individual, comunitário, estadual e nacional, com apoio informado pelas melhores práticas e padrões de higiene pública abrangentes.

 A adesão estrita às diretrizes da Organização Mundial de Saúde (OMS) é desejável com a intensificação da educação em saúde pública e campanhas de esclarecimento sobre métodos de prevenção, bem como controle de roedores, entre outros. Exortamos o NCDC a continuar guiando os Estados, disponibilizando e aplicando novas diretrizes descrevendo os sistemas,as atividades e recursos nos níveis nacional, estadual e local para responder à escala da ameaça da febre de Lassa. A nação não pode pagar essa perda anual de vidas humanas.

Traduzido e editado pelo Blog Alagoas real
Se copiar ou criar link,é obrigatório citar a fonte
Do original e o blog ALAGOAS REAL

Fonte
 http://www.vanguardngr.com/2017/01/combating-the-menace-of-lassa-fever/



Combate à ameaça da febre de Lassa


Mário Augusto


Rating:
5 out of
5






Comentários