Zika,Chikungunya e Dengue : Orientações às gestantes,Cartilhas,Vigilância Epidemiológica e Manejo Clínico

Orientações às gestantes :Dengue,Chikungunya e Zika





Cuidados com a saúde devem ser diários. No período da gravidez, essa atenção com a saúde deve ser redobrada. A gestante deve ser acompanhada em consultas de pré-natal; realizar todos os exames recomendados pelo médico; não consumir bebidas alcoólicas ou qualquer tipo de droga; e não usar medicamentos sem orientação médica.


Também deve haver preocupação com o mosquito Aedes aegypti, que transmite a dengue, a febre chikungunya e também zika. Os casos de microcefalia existentes no País reforçam ainda mais a importância dos cuidados para eliminação do mosquito da dengue.



As beneficiárias de planos de saúde com cobertura obstétrica têm garantido o pré-natal, o parto e assistência pós-parto. Especificamente quanto a diagnóstico e tratamento de dengue, zika e chikungunya, há uma lista de exames e procedimentos disponíveis no rol: exames laboratoriais para detecção da dengue, chikungunya e zika, exames de imagem para a fase de gestação e após o nascimento do bebê (caso haja suspeita de má formação) e exames e terapêuticas preconizados para o tratamento do bebê com microcefalia. O Cartão da Gestante contendo todas as informações do pré-natal deve ser disponibilizado pelas operadoras de planos de saúde às grávidas.


Cuidados com o recém-nascido

Proteger o ambiente com telas em janelas e portas, e procurar manter o bebê com uso contínuo de roupas compridas – calças e blusas.
MManter o bebê em locais com telas de proteção, mosquiteiros ou outras barreiras disponíveis.
A amamentação é indicada até o 2º ano de vida ou mais, sendo exclusiva nos primeiros 6 meses de vida.
Caso se observem manchas vermelhas na pele, olhos avermelhados ou febre, procurar um serviço de saúde.
Não dar ao bebê qualquer medicamento por conta própria.



Informação


Após o nascimento, o bebê será avaliado pelo profissional de saúde na maternidade. A medição da cabeça do bebê (perímetro cefálico) faz parte dessa avaliação.
Além dos testes de Triagem Neonatal de Rotina (teste de orelhinha, teste do pezinho e teste do olhinho), poderão ser realizados outros exames.
Faça o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento conforme o calendário de consulta de puericultura.
Mantenha a vacinação em dia, de acordo com o calendário vacinal da Caderneta da Criança.
Cuidado com o recém-nascido com microcefalia
Proteger o ambiente com telas em janelas e portas, e procurar manter o bebê com uso contínuo de roupas compridas – calças e blusas.
Manter o bebê em locais com telas de proteção, mosquiteiros ou outras barreiras disponíveis.
A amamentação é indicada até o 2º ano de vida ou mais, sendo exclusiva nos primeiros 6 meses de vida.
Caso se observem manchas vermelhas na pele, olhos avermelhados ou febre, procurar um serviço de saúde.
Não dar ao bebê qualquer medicamento por conta própria.
Leve seu bebê a uma Unidade Básica de Saúde para o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento conforme o calendário de consulta de puericultura.
Mantenha a vacinação em dia, de acordo com o calendário vacinal da Caderneta da Criança.
Informação
Além do acompanhamento de rotina na Unidade Básica de Saúde, seu bebê precisa ser encaminhado para a estimulação precoce.
Caso o bebê apresente alterações ou complicações (neurológicas, motoras ou respiratórias, entre outras), o acompanhamento por diferentes especialistas poderá ser necessário, a depender de cada caso.


Quais as consequências para um bebê se ele for picado e tiver zika?


Entre pessoas infectadas pelo vírus zika (adultos e crianças), cerca de 80% não desenvolvem sintomas, sejam adultos ou crianças. Dentre essas pessoas, apenas uma pequena parcela pode vir a desenvolver algum tipo de complicação, que deverá ser avaliada pelos médicos, uma vez que o zika é uma doença nova e suas complicações ainda não foram descritas.




Aleitamento materno


Como não há evidência científica que demonstre a transmissão do vírus zika pelo leite materno, o Ministério da Saúde recomenda que seja mantido o aleitamento materno contínuo até os dois anos ou mais, sendo exclusivo nos primeiros seis meses de vida. O aleitamento materno é a estratégia isolada que mais previne mortes infantis, além de promover a saúde física, mental e psíquica da criança e da mulher que amamenta.


Importante! Vacina não é causa de surto de microcefalia! Todas as vacinas ofertadas pelo programa nacional de imunização são seguras e não há nenhuma evidência de que podem causar microcefalia. As vacinas são fundamentais para proteger o bebê contra doenças graves. Nenhuma das vacinas administradas durante a gestação contém vírus ou outros agentes vivos.

Fonte: MS Brasil

Comentários