3/22/2017

Enfrentando um surto significativo de febre amarela,o Brasil pede mais vacina


O Brasil, sob o risco de um enorme surto de febre amarela , pediu milhões de doses de vacina de um estoque internacional de emergência. 


Uma mãe conforta sua filha de cinco anos enquanto um profissional de saúde se prepara para aplicar a vacina contra a febre amarela em Casimiro de Abreu, Brasil.


O órgão que mantém e gerencia o estoque, o Grupo Internacional de Coordenação de Provisão de Vacinas, aprovou a liberação de mais de 3,5 milhões de doses de acordo com o escritório brasileiro da Associação Pan-Americana de Saúde.


 O escritório disse que a vacina contra a Febre Amarela deve chegar ao Brasil nos próximos dias. 


O pedido sinaliza a crescente preocupação das autoridades de saúde pública sobre a escalada do surto brasileiro. O país já abriga um dos quatro fabricantes de vacinas contra a febre amarela no mundo, e normalmente produz o suficiente para atender às suas próprias necessidades. 

Mas desde dezembro passado, o Brasil registrou um número maior do que o normal de casos de febre amarela. E à medida que os casos se aproximaram cada vez mais de duas das maiores cidades do país - Rio de Janeiro e São Paulo - houve temores de que a doença pudesse começar a se espalhar nessas cidades e, a partir delas, para outras partes das Américas. 

Em 13 de março, havia 1.538 casos de febre amarela, de acordo com o Ministério da Saúde do Brasil. Destes, 396 foram confirmados e 184 descartados. Mais de 950 casos suspeitos continuam sob investigação. 

Houve 255 mortes. Os casos confirmados foram registrados em três estados: Minas Gerais, Espírito Santo e São Paulo. 

O Ministério da Saúde anunciou recentemente que vacinará todos no estado do Rio de Janeiro e também vacinará pessoas em áreas do estado de São Paulo que foram consideradas em risco.



Editado e Traduzido
Se copiar é obrigatório citar a fonte
Do original e o link do blog ALAGOAS REAL

História Fonte
https://www.statnews.com/2017/03/21/brazil-yellow-fever-vaccine/

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Faça seu comentário