Macacos mortos infectados pela febre amarela na Região Metropolitana de Vitória


O biólogo Sérgio Lucena apresentou três hipóteses para o aparecimento de macacos mortos infectados pela febre amarela na Região Metropolitana de Vitória:

Febre Amarela - Espírito Santo - Vitória



  • Aedes aegypti teria começado a transmitir a doença
  • Mosquitos silvestres tornaram-se mais urbanos
  • Ser humano que foi infectado no campo pode ter sido picado por mosquito





“São casos pontuais, isolados. Mas como eles teriam contraído a febre amarela? Isso nos levou a questionar porque você não tem continuidade de matas de florestas até essas áreas. Estamos trabalhando com diferentes hipóteses porque nós precisamos investigar”, disse.


O professor afirma que não há confirmação da doença em seres humanos na região urbana, algo que tranquiliza, mas a investigação continua sendo necessária.


A grande preocupação diz respeito à contaminação por meio da picada do Aedes aegypti, que foi transmissor no do ciclo urbano da febre amarela no passado. O professor lembra que na Grande Vitória existem outros tipos de mosquitos Aedes e que eles também precisam ser pesquisados.


“Hoje, pelo que a gente sabe, ele não está transmitindo, mas potencialmente ele pode vir a transmitir. É uma grande preocupação”, afirmou.



De acordo com o especialista, grande parte da população é naturalmente resistente ao vírus da febre amarela.


“De 80% a 90% não têm sintomas ou têm sintomas muito brandos. Uma pessoa que foi à zona rural e foi picada por um mosquito que tem o vírus da febre amarela, ela fica alguns dias com esse vírus circulando no sangue. Se ela for para alguma cidade que tem uma mata do lado, é possível que algum mosquito apropriado venha a se contaminar e pique o macaco”.


O biólogo esclareceu que os macacos não são capazes de transmitir a doença, por isso a população não precisa temer o contato com os bichos.


“O mosquito é necessário. Não existe transmissão da febre amarela de macacos para humanos e de humanos para humanos, há sempre a intermediação de um mosquito. Se o macaco na zona urbana veio a se contaminar, de alguma forma esse vírus chegou na cidade”.



FONTE: G1
http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/febre-amarela-e-confirmada-em-dois-macacos-encontrados-mortos-na-ufes.ghtml

Comentários