4/05/2017

Aumento no índice do LIRAa é indicativo de alerta para Zika,Dengue,Febre Amarela,Chikungunya e Mayaro

O Levantamento Rápido de Índice de Infestação do Mosquito Aedes aegypty - LIRAa determina riscos para surtos e epidemias por doenças que são transmitidas pelo mosquito vetor Aedes aegypti

Levantamento Rápido de Índice de Infestação do Mosquito Aedes aegypty - LIRAa




Em áreas urbanas o Aedes aegypti está associado a transmissão da febre amarela e também na ocorrência de casos de Dengue, Chikungunya e Zika no Brasil



O QUE É LIRAa ?



O LIRAa é o mapeamento rápido dos índices de infestação por Aedes aegypti. .


Critérios para uso: A partir de fevereiro de 2017, 100% dos municípios do país passaram a informar a situação de infestação do Aedes.


Antes os critérios eram :

▪ Capitais e municípios de regiões metropolitanas
▪ Municípios com mais de 100 mil habitantes
▪ Municípios com grande fluxo de turistas e de fronteira



 Quais são as vantagens no uso do LIRAa ?


▪ Identifica os criadouros predominantes e a situação de infestação do município
▪ Permite o direcionamento das ações de controle para as áreas mais críticas


Como ele  é feito  ? : 

O município é dividido em grupos de 9 mil a 12 mil imóveis com características semelhantes. Em cada grupo, também chamado estrato, são pesquisados 450 imóveis. 

Os estratos com índices de infestação predial:

▪ Inferiores a 1%: estão em condições satisfatórias
▪ De 1% a 3,9%: estão em situação de alerta
▪ Superior a 4%: há risco de surto de dengue




O Programa

O Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), surgiu em 2003. Inicialmente, a ideia era fazer o levantamento apenas no período que antecede o verão, época com maior chance de proliferação do mosquito. Entretanto, foi identificada a necessidade de prevenção o ano todo, já que mesmo em épocas em que a proporção do Aedes é menor, como nos períodos de seca e frio, o mosquito se reproduz.

O programa ainda permite descobrir os índices de infestação do mosquito no município em um prazo de uma semana, além de identificar quais os bairros mais críticos e os principais focos na área. Quem realiza a visita nas casas são os Agentes de Combate às Endemias (ACE).

Depois que o levantamento está pronto, os dados são divulgados para a população, que pode atuar de maneira integrada com as políticas do município, propondo alternativas para acabar com os focos do mosquito, e cuidando da residência.



Comentário


A utilização do LIRAa, além contribuir para mudanças, adequação ou manutenção das ações viegentes de controle do Aedes , de maneira racional e otimizada, deve servir como alerta para que os municípios classificados como de risco aprimorem os respectivos planos de contingência para as epidemias que se anunciam, sobretudo visando minimizar a morbimortalidade associada à doença. 


Fontes:
Blog AR NEWS
MS BRASIL
PROMED_ORG
OMS

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Faça seu comentário