4/20/2017

OMS | OPAS : Uma breve descrição das doenças tropicais negligenciadas


Relatório da OMS informa progressos sem precedentes contra doenças tropicais negligenciadas


OMS -  doenças tropicais negligenciadas


As doenças tropicais negligenciadas cegam, mutilam, desfiguram e debilitam centenas de milhões de pessoas em favelas urbanas e nas partes mais pobres do mundo.


Uma vez amplamente prevalentes, essas doenças estão agora restritas a regiões tropicais e subtropicais com água não tratada, higiene e saneamento inadequados e condições de habitação precárias. Pessoas pobres que vivem em áreas remotas, rurais, favelas urbanas ou zonas de conflito estão em maior risco. Mais de 70% dos países e territórios que relatam a presença de DTNs são de baixa renda ou média-baixa renda.


A Organização Mundial da Saúde (OMS) relata realizações notáveis no tratamento de doenças tropicais negligenciadas (DTNs) desde 2007. Estima-se que um bilhão de pessoas tenham recebido tratamento apenas em 2015. "A OMS tem observado progressos recordes que estão deixando antigos flagelos, como a tripanossomíase humana africana, conhecida como doença do sono, e a filariose linfática (elefantíase)", disse Margaret Chan, diretora-geral da Organização.

"Nos últimos 10 anos, milhões de pessoas foram resgatadas da incapacidade e da pobreza, graças a uma das parcerias globais mais eficazes da saúde pública moderna".


Abaixo, uma breve descrição das doenças tropicais negligenciadas:

Dengue: doença viral transmitida por mosquitos que causa doença semelhante à gripe. Ocasionalmente se desenvolve em uma complicação letal, conhecida como dengue grave como as formas hemorrágicas .

Raiva: doença viral transmitida aos seres humanos por meio da mordedura de cães infectados. Invariavelmente fatal quando os sintomas se desenvolvem.

Tracoma: infecção transmitida por contato direto com os olhos ou secreção nasal. Causa opacidades corneanas irreversíveis e cegueira.

Úlcera de Buruli: infecção debilitante que causa destruição grave da pele, dos ossos e dos tecidos moles.

Bouba: infecção bacteriana crônica que afeta principalmente pele e osso.

Hanseníase: causada pela infecção principalmente da pele, nervos periféricos, mucosa do trato respiratório superior e olhos.

Doença de Chagas: infecção transmitida pelo contato com insetos vetores, ingestão de alimentos contaminados, transfusão de sangue infectado, transmissão congênita, transplante de órgãos ou acidentes laboratoriais.

Tripanossomíase humana africana (doença do sono): propagada por picadas de moscas tsé-tsé. Quase 100% fatal sem diagnóstico e tratamento imediatos.

Leishmaniose: transmitida por meio de picadas de flebotomíneos infectados. Em sua forma mais severa (visceral), ataca os órgãos internos. A forma mais prevalente (cutânea) causa úlceras faciais, cicatrizes desfigurantes e incapacidade.

Teníase e neurocisticercose: infecção por tênias adultas em intestinos humanos; a cisticercose ocorre quando os seres humanos ingerem ovos de tênia que se desenvolvem como larvas nos tecidos.

Dracunculíase (doença do verme-da-guiné): infecção por nematódeos, transmitida por água potável contaminada com pulgas de água infectadas por parasitas.

Equinococose: infecção causada por estágios larvais de tênias, formando cistos patogênicos. Transmitido aos seres humanos por meio da ingestão de ovos colocados em fezes de cães e animais selvagens.

Doenças transmitidas por alimentos: infecção adquirida pelo consumo de peixe, vegetais e crustáceos contaminados com larvas parasitas.

Filariose linfática: infecção transmitida por mosquitos que causa aumento anormal de membros e genitais de vermes adultos habitando e se reproduzindo no sistema linfático.

Micetoma: debilitante e incapacitante infecção bacteriana/fúngica da pele, provavelmente causada pela inoculação de fungos ou bactérias no tecido subcutâneo.

Oncocercose (“cegueira dos rios”): doença parasitária dos olhos e da pele, transmitida pela picada de mosquitos pretos infectados. Causa coceira intensa e lesões oculares, levando à deficiência visual e cegueira permanente.

Esquistossomose: infecção de larvas de vermes. A transmissão ocorre quando as formas larvais liberadas pelos caramujos de água doce penetram na pele humana durante o contato com água infestada.

Helmintíase transmitida pelo solo: grupo de infecções de helmintos intestinais transmitidas por meio de solo contaminado por fezes humanas.

Editado
Blog AR NEWS
 Se copiar é obrigatório citar o link da postagem

FONTE:

OMS | OPAS : Uma breve descrição das doenças tropicais negligenciadas -   Rating: 6 out of 10 -  Blog AR NEWS   

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Faça seu comentário