Estudo mostra como o Ebola desativa as defesas imunológicas

EBOLA
EBOLA




Especificamente, os pesquisadores descobriram que o vírus Ebola se liga diretamente aos glóbulos brancos (críticos para o sistema imunológico) levando à sua morte.


"Existem vacinas experimentais contra o Ebola e terapias testadas em ensaios clínicos, mas nenhuma delas recebeu aprovação final ainda", disse o autor principal Alexander Bukreyev, um virologista da UTMB nos departamentos de patologia , microbiologia e imunologia. "Compreender como o vírus invasor Ebola desativa o sistema imunológico do hospedeiro é um passo muito importante no desenvolvimento de terapias específicas para a doença do vírus Ebola".


Quando alguém está infectado com Ebola, seus linfócitos - um tipo de glóbulo branco que é uma parte importante do sistema imunológico - desaparecem rapidamente. Esta questão é freqüentemente observada em pacientes que sucumbem à doença, enquanto as pessoas que sobrevivem demonstraram manter níveis de linfócitos ao longo da doença.


O vírus Ebola não é capaz de infectar diretamente essas células brancas do sangue, mas ainda assim elas morrem. Sabia-se anteriormente que o vírus afeta células e caminhos que são críticos para o bem-estar dos linfócitos, incluindo uma determinada via de sinalização após a ligação a um receptor chamado TLR4. O objetivo deste estudo foi saber se o Ebola afeta diretamente os linfócitos e o papel do TLR4 na morte celular de linfócitos durante uma infecção pelo Ebola.


Os pesquisadores mostraram pela primeira vez que, apesar da incapacidade do Ebola de infectar linfócitos, ele se liga diretamente a eles e causa a morte celular. A ligação envolve o caminho TLR4, entre outros. Quando o vírus Ebola se liga a linfócitos, as vias TLR4 ativam células e contribuem para a morte de linfócitos, deixando a pessoa mais vulnerável à invasão viral.


"A adição de um produto químico que bloqueia a ativação de TLR4 protegeu os linfócitos na presença de Ebola, confirmando seu papel na infecção e disseminação de doenças em todo o corpo", disse o Dr. Mathieu Iampietro, autor principal do estudo.


"Nossos achados sugerem que um medicamento que bloqueia TLR4 poderia ser usado para tratar pacientes com Ebola e estende os nossos achados anteriores de que o antagonista do receptor TLR4 Eritoran protege contra ambos ,Ebola e o vírus de Marburg intimamente relacionado", disse Patrick Younan, o outro co-Autor do estudo.


Bukreyev disse que o estudo destaca as diversas estratégias utilizadas pelo Ebola para que os linfócitos morram através de métodos diretos e indiretos, apesar da falta de infecção.


Outros autores incluem Ndongala Michel Lubaki e Rodrigo Santos da UTMB; Andrew Nishida, Mukta Dutta e Michael Katze da Universidade de Washington em Seattle e Richard Koup do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas.




Traduzido e Editado
Se copiar é obrigatório citar o link do Blog AR NEWS


Fonte do relato:

Comentários