OMS : uma nova abordagem estratégica para o controle de vetores

inseticida,controle vetores
É necessária experiência para saber onde e quando implementar o controle vetorial

Hoje, mais de 80% da população mundial está em risco de doenças transmitidas por vetores, com a probabilidade de ter duas ou mais doenças. Os mosquitos podem transmitir, entre outras doenças, malária, filariose linfática, encefalite japonesa e Nilo Ocidental; As moscas podem transmitir oncocercose, leishmaniose e tripanossomíase humana africana (doença do sono); e os insetos ou carrapatos podem transmitir a doença de Chagas, doença de Lyme e encefalite. 
Juntos, as principais doenças transmitidas por vetores matam mais de 700 000 pessoas por ano, com populações em áreas tropicais e subtropicais atingidas pela pobreza com maior risco. Outras doenças transmitidas por vetores, como a encefalite transmitida por carrapatos, são cada vez mais preocupantes em regiões temperadas. 

A urbanização rápida não planejada, o aumento maciço das viagens e do comércio internacional, as práticas agrícolas alteradas e outras mudanças ambientais estão alimentando a disseminação de vetores em todo o mundo, colocando mais e mais pessoas em risco. As pessoas mal nutridas e as pessoas com imunidade enfraquecida são especialmente suscetíveis. 

Uma nova abordagem 

Ao longo do ano passado, a OMS liderou uma nova abordagem estratégica para o controle de vetores. O Programa Global de Malária e o Departamento de Controle de Doenças Tropicais Negligenciadas - juntamente com o Programa Especial de Pesquisa e Treinamento em Doenças Tropicais, lideraram uma ampla consulta explorando a experiência dos ministérios da saúde e especialistas técnicos.O processo foi conduzido por um grupo de cientistas  e especialistas em saúde pública liderados por Dra. Ana Carolina Silva Santelli e pelo Professor Thomas Scott do Departamento de Entomologia e Nematologia da Universidade da Califórnia, Davis e resultou naResposta Global de Controle de Vetores ( GVCR) 2017-2030
.
Traduzido e Editado
Se copiar é obrigatório citar o link do Blog AR NEWS


Fonte do relato:
Confira o artigo

Comentários