Médicos lutam contra surto de febre tifoide resistente a drogas


"Estamos sem opções": médicos lutam contra surto de febre tifoide resistente a drogas


febre tifoide
Um bebê supostamente contraiu uma cepa de febre tifoide resistente a drogas, hospitalizada em Hyderabad, Paquistão


A primeira epidemia conhecida de febre tifoide extensivamente resistente a medicamentos está se espalhando pelo Paquistão, infectando pelo menos 850 pessoas em 14 distritos desde 2016, de acordo com o Instituto Nacional de Saúde de Islamabad.
Espera-se que a cepa tifoide, resistente a cinco tipos de antibióticos, se dissemine globalmente, substituindo cepas mais fracas onde elas são endêmicas. Especialistas identificaram apenas um antibiótico oral remanescente - azitromicina - para combatê-la; mais uma mutação genética poderia tornar a doença tifoide intratável em algumas áreas. 
Pesquisadores consideram a epidemia um clamor internacional por esforços abrangentes de prevenção. Se as campanhas de vacinação e os modernos sistemas de saneamento não superarem o patógeno, eles antecipam um retorno à era pré-antibiótica quando as taxas de mortalidade aumentaram. 
"Não se trata apenas de febre tifoide", disse Rumina Hasan, professora de patologia da Universidade Aga Khan, no Paquistão. “A resistência aos antibióticos é uma ameaça para toda a medicina moderna - e a parte assustadora é que estamos sem opções.” 
A febre tifóide, causada pela bactéria Salmonella typhi, é uma doença altamente infecciosa transmitida por alimentos ou água contaminados. Causa febre alta, dores de cabeça e vômitos. Cerca de 21 milhões de pessoas sofrem de febre tifóide a cada ano e cerca de 161.000 morrem, segundo a Organização Mundial de Saúde.
A febre tifóide é endêmica no Paquistão, onde infra-estrutura deficiente, baixas taxas de vacinação e habitações superpovoadas nas cidades persistem. Os médicos da província de Sindh não ficaram surpresos com um surto em novembro de 2016 - até que os casos se mostraram não responsivos à ceftriaxona, usada no tratamento de cepas tifoides resistentes a múltiplas drogas, ou MDR. 
Apenas quatro casos isolados de febre tifóide extensivamente resistente a drogas, ou XDR, haviam sido relatados anteriormente em todo o mundo, de acordo com a Dra. Elizabeth Klemm, geneticista em doenças infecciosas do Instituto Wellcome Sanger, na Inglaterra. 
As origens do surto foram claras: o mapeamento dos primeiros casos revelou grandes aglomerados de vítimas em torno das linhas de esgoto na cidade de Hyderabad. Os colegas do Dr. Hasan visitaram a região e encontraram fontes de água que poderiam ser contaminadas pelo vazamento de canos de esgoto. 
Quatro mortes foram relatadas até agora, de acordo com o Instituto Nacional de Saúde de Islamabad. Pelo menos um caso relacionado a viagens foi detectado no Reino Unido. 
O sequenciamento genético revelou que uma cepa tóxica comum e agressiva chamada H58 interagia com outra bactéria, provavelmente E. coli , e adquiriu uma molécula de DNA adicional, chamada plasmídeo, que codificava a resistência à ceftriaxona.
As descobertas foram perturbadoramente simples: as linhagens de XDR podem se materializar em uma única etapa, virtualmente em qualquer lugar onde a cepa H58 e o plasmídeo adicionado estão presentes - seja um sistema de esgoto ou até mesmo um único intestino humano. 
"Existem vários cenários de pior caso", disse o Dr. Klemm. “Uma é que essa linhagem se espalha para outras regiões por meio da migração. Mas o outro é que ela aparece em outro lugar por conta própria - plasmídeos com resistência a drogas estão em toda parte ”.

Fonte:www.nytimes.com

Comentários

Recentes