Vírus Chikungunya: o que todo reumatologista deve saber

Vírus Chikungunya: o que todo reumatologista deve saber

Os reumatologistas devem estar preparados para considerar  artrite por chikungunya em qualquer paciente com história de viagem e relato de doença febril com artralgia.


vírus
Vírus Chikungunya

Causada por picadas de mosquitos Aedes infectados , o vírus chikungunya tornou-se uma doença de preocupação global, devido às suas conseqüências potencialmente incapacitantes e sua eficiência na transmissão. O chikungunya se traduz como " aquilo que se curva " na língua Makonde, uma referência à postura curvada que as pessoas afetadas às vezes assumem devida a sintomas de artralgia grave. 1 Antes de 2013, o vírus chikungunya era considerado principalmente endêmico na África, na Ásia e no subcontinente indiano. 


No entanto, no final daquele ano, começaram a surgir casos na ilha caribenha de Saint Martin. Desde então, a incidência da doença nas Américas aumentou vertiginosamente, com quase 4 milhões de casos registrados cumulativamente nas Américas em dezembro de 2017. Um total de 150 casos confirmados por laboratório do vírus chikungunya com início da doença em 2017 foi relatado à Centros dos EUA para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) por departamentos de saúde estaduais e locais dos Estados Unidos. 2 Destes casos adquiridos localmente, 36 foram notificados em Porto Rico; todos os outros estavam relacionados a viagens. O vírus Chikungunya foi designado como uma condição nacionalmente notificável em 2015.


Após um período de incubação de 2 a 7 dias, 95% das pessoas infectadas com o vírus chikungunya desenvolvem o início repentino de febre alta tipicamente> 102 ° F,(38,8 °C)dores de cabeça, erupção cutânea, dor muscular difusa intensa e poliartrite simétrica. 3 Nenhuma terapia específica está disponível para o tratamento da chikungunya aguda. O tratamento destina-se principalmente ao controle dos sintomas com analgésicos, antiinflamatórios não-esteróides (AINEs) ou baixas doses de esteróides. 4 Embora as manifestações da doença sejam geralmente autolimitadas, com uma duração típica de menos de uma semana, alguns pacientes progridem para um estágio crônico da doença após a resolução da infecção aguda. Na fase crônica, a inflamação articular e a artralgia podem continuar por semanas, meses ou até anos. 5, 6 Os sintomas nesta fase podem ser persistentes ou seguir um padrão de remissão / recidiva. 7 Frequentemente estão associados ao comprometimento de atividades normais da vida diária, limitações na mobilidade, sequelas psicossociais e decréscimos significativos na qualidade de vida. 8,9 Um estudo conduzido por Aileen Y. Chang, MDPH, da George Washington University, em Washington, DC, descobriu que em 500 pacientes infectados com o vírus chikungunya durante a epidemia colombiana de 2014 a 2015, 25% tinham dor persistente. nas articulações aos 20 meses pós-infecção. 10


Os mecanismos responsáveis ​​pela artrite crônica relacionada ao chikungunya ainda não são bem compreendidos, mas os achados de outro estudo liderado pelo Dr. Chang sugerem que a persistência viral não é a causa. 11Não foram encontradas evidências de vírus chikungunya no líquido sinovial de 38 pacientes com artrite crônica, que se desenvolveram após a infecção pelo vírus chikungunya, durante a epidemia colombiana de 2014 a 2015. O líquido sinovial foi investigado via cultura viral, reação em cadeia da polimerase via transcrição reversa quantitativa e espectrometria de massa. O Dr. Chang e colegas escreveram que “este achado sugere que o vírus chikungunya pode causar artrite através da indução de potencial autoimunidade do hospedeiro, sugerindo um papel para agentes imunomoduladores no tratamento da artrite chikungunya, ou que a persistência viral de baixo nível existe apenas no tecido sinovial e é indetectável no líquido sinovial ”.


Em outro estudo recente envolvendo 140 pacientes infectados com o vírus chikungunya, o tabagismo e o sexo feminino foram identificados como os principais fatores de risco para dor articular severa nas fases aguda e crônica da doença. Os autores do estudo observaram que esses fatores de risco parecem ser similares àqueles associados ao desenvolvimento e à gravidade da artrite reumatoide (AR), possivelmente apontando para um mecanismo fisiopatológico compartilhado. 12 Uma revisão sistemática de estudos sobre o tratamento da artrite crônica por chikungunya com metotrexato, a pedra angular da terapia com AR, demonstrou eficácia suficiente para justificar o interesse em seu uso, apesar de evidências limitadas. 13


"Ainda não sabemos os mecanismos de como o vírus chikungunya causa a artrite persistente, e não temos ensaios randomizados em grande escala para fornecer diretrizes baseadas em evidências para o tratamento da artrite por chikungunya", disse o Dr. Chang ao Reumatology Advisor.. Afirmou que os reumatologistas devem estar preparados para considerar a artrite por chikungunya em qualquer paciente com história de viagem e história de doença febril com artralgias. “O vírus Chikungunya é relevante para os reumatologistas nos Estados Unidos porque vemos pacientes que podem se infectar com o vírus chikungunya enquanto viajam ou visitam a família em áreas endêmicas e retornam com artrite persistente”, observou . “Um ensaio imunoenzimático simples para testar a imunoglobulina M (IgM) e IgG chikungunya em um viajante que retorna é um valioso diagnóstico em pacientes que apresentam um histórico desses sintomas. Pacientes com dor nas articulações que começaram inicialmente em pequenas articulações simétricas durante uma doença febril após a exposição a uma área endêmica de chikungunya devem ser testados para o vírus. ”

Chang afirmou que não é provável que os Estados Unidos estejam em risco de um surto generalizado do vírus chikungunya. “Os mosquitos que disseminam o vírus chikungunya vivem na metade sul dos Estados Unidos, e nós temos viajantes que trazem de volta o vírus. Se usarrmos a dengue como exemplo, tendemos a ter surtos de 'pipoca' que são autolimitados no sul dos Estados Unidos. Enquanto permanecermos no controle do mosquito e da vigilância de casos, os Estados Unidos provavelmente evitarão ter uma grande epidemia ”.


Fontes:
Editado e traduzido pelo Blog Ar News 

É obrigatório citar o LINK da postagem : Vírus Chikungunya: o que todo reumatologista deve saber

Texto original de 

Cindy Lampner, MSLIS https://www.rheumatologyadvisor.com/cindy-lampner-mslis/author/2787/ , publicado em Mar 20, 2018
Chikungunya in the French part of the Caribbean isle of Saint Martin. World Health Organization. http://www.who.int/csr/don/2013_12_10a/en/. Published December 10, 2013. Accessed March 8, 2018.
Chikungunya Virus: 2017 provisional data for the United States. US Centers for Disease Control and Prevention. https://www.cdc.gov/chikungunya/geo/united-states-2017.html. Published January 11, 2018. Accessed March 10, 2018.
Mathew AJ, Ganapati A, Kabeerdoss J, et al. Chikungunya infection: a global public health menace. Curr Allergy Asthma Rep. 2017;17(2):13.
Rodríguez-Morales AJ, Cardona-Ospina JA, Fernanda Urbano-Garzón S, Sebastian Hurtado-Zapata J. Prevalence of post-chikungunya infection chronic inflammatory arthritis: a systematic review and meta-analysis. Arthritis Care Res. 2016;68(12):1849-1858.
Arroyo-Ávila M, Vilá LM. Rheumatic manifestations in patients with chikungunya infection. P R Health Sci J. 2015;34(2):71-77.
Schilte C, Staikowsky F, Staikovsky F, et al. Chikungunya virus-associated long-term arthralgia: a 36-month prospective longitudinal study. PLoS Negl Trop Dis. 2013;7(3):e2137.
Couturier E, Guillemin F, Mura M, et al. Impaired quality of life after chikungunya virus infection: a 2-year follow-up study. Rheumatology. 2012;51(7):1315-1322.
Elsinga J, Grobusch MP, Tami A, Gerstenbluth I, Bailey A. Health-related impact on quality of life and coping strategies for chikungunya: A qualitative study in Curaçao. PLoS Negl Trop Dis. 2017;11(10):e0005987.
Chang AY, Encinales L, Porras A, et al. Frequency of chronic joint pain following chikungunya virus infection: a Colombian cohort study [published online December 20, 2017]. Arthritis Rheumatol. doi:10.1002/art.40384
Chang AY, Martins KAO, Encinales L, et al. Chikungunya arthritis mechanisms in the Americas [published online March 7, 2018]. Arthritis Rheumatol. doi:10.1002/art.40383
Amaral JK, Sutaria R, Schoen RT. Treatment of chronic chikungunya arthritis with methotrexate: a systematic review [published online January 23, 2018]. Arthritis Care Res. doi:10.1002/acr.23519

Comentários

Recentes