ECDC: Infecções associadas aos cuidados de saúde adquiridas em unidades de terapia intensiva

ECDC
ECDC


Infecções associadas aos cuidados de saúde adquiridas em unidades de terapia intensiva - Relatório epidemiológico anual de 2016 . 


Este relatório é baseado em dados para 2016 recuperados do Sistema Europeu de Vigilância (TESSy) em 26 de abril de 2018. TESSy é um sistema para a coleta, análise e disseminação de dados sobre doenças transmissíveis. Os Estados-Membros da UE e os países do EEE contribuem para o sistema, enviando os seus dados de vigilância de doenças infecciosas em intervalos regulares.



Fatos importantes

 Em 2016, 12.735 (8,4%) pacientes internados em unidade de terapia intensiva (UTI) por mais de dois dias apresentaram pelo menos uma infecção associada à assistência à saúde adquirida em UTI sob vigilância (pneumonia, infecção da corrente sanguínea ou infecção do trato urinário).
 De todos os pacientes que permaneceram em uma UTI por mais de dois dias, 6% apresentaram pneumonia, 4% infecção da corrente sanguínea e 2% infecção do trato urinário (ITU).
 97% dos episódios de pneumonia foram associados à intubação, 44% dos episódios de ICS foram relacionados ao cateter, e 99% dos episódios de ITU foram associados à presença de um cateter urinário.
 O microrganismo isolado mais frequentemente foi Pseudomonas aeruginosa na pneumonia adquirida na UCI , estafilococos coagulase-negativos em infecções da corrente sanguínea adquiridas em UTI, e Escherichia coli em infecções do trato urinário adquiridas em UTI.
 30% dos isolados de Staphylococcus aureus eram resistentes à oxacilina (MRSA). Resistência a terceira geração cefalosporinas foi relatada em 18% dos isolados de E. coli, 38% dos Klebsiella spp. e 32% de Enterobacter spp. . A resistência ao carbapenema foi relatada em 11% dos Klebsiella spp. isolados, 27% de isolados de P. aeruginosa e 66% de isolados de Acinetobacter baumannii.

ECDC leia mais

Comentários

Recentes