FEBRE HEMORRÁGICA ARGENTINA EM SANTA FÉ: CASOS CONFIRMADOS COM 1 ÓBITO

A febre hemorrágica argentina, causada pelo arenavírus Junin, foi descrita pela primeira vez em 1958. O vírus Junin, que tem como principal reservatório o roedor Calomys musculinis, é transmitido principalmente por via inalatória, mas também, potencialmente, por ingestão de alimentos contaminados e por via percutânea.
roedor Calomys musculinis

Clinicamente, a doença se caracteriza por ser uma doença febril aguda, com prostração, mialgia, dor retroorbitária, dor abdominal, hiperemia conjuntival, exantema, lesões petequiais ou microvesiculares em cavidade oral. As principais complicações, além de acometimento neurológico, são hipotensão, hemorragias e choque, que decorrem de alterações da permeabilidade vascular; a letalidade associada a doença pode alcançar taxas que variam entre 15% e 30%.

Além da utilização de soro humano de fase convalescente, alguns estudos apontam para eficácia da ribavirina como opção terapêutica. No âmbito da prevenção, uma vacina de vírus vivo atenuado já foi utilizada em área endêmica com eficácia superior a 95%.

Falleció 1 hombre por fiebre hemorrágica y 1 chica está internada




Para saber mais sobre o vírus Junin e outros arenavírus, acesse:

promedport


Comentários