SINMED PEDE AO TJ/AL FIM DAS PUNIÇÕES


Em audiência com o presidente em exercício do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargador Tutmés Ayran, na semana passada, o presidente do SINMED, Wellington Galvão, fez um relato detalhado da greve dos médicos da rede estadual – que começou em dezembro de 2012 e se prolongou por quase cinco meses – e questionou as punições impostas à categoria pelo governo, além do fato de o TJ/AL ter acatado, em caráter liminar, o pedido de ilegalidade da greve feito pelo Estado. Até hoje, o recurso interposto pelo SINMED contra a ilegalidade não foi julgado, assim como o mérito da ação proposta pelo governo.




De acordo com relato do presidente do Sindicato ao desembargador, todos os trâmites legais exigidos para decretação da greve foram cumpridos. Além disso, a paralisação afetou apenas serviços ambulatoriais, que não envolvem risco de morte. O governo abriu processos administrativos e fez denúncias contra médicos grevistas, e o próprio SINMED também foi alvo de punições. Na atual negociação, representantes do governo alegam que as punições impostas só podem ser retiradas com aval do Tribunal de Justiça.


O desembargador se mostrou sensível ao pleito do SINMED e, depois de ser informado sobre o fim da greve e o atual estágio de negociação com o governo, disse que, oportunamente, se pronunciará, através de um despacho, sobre o pleito do sindicato em relação às punições.

sinmed

Comentários