Mais Médicos : Não há boicote tampouco preconceito e sim insegurança jurídica !


Ministro da Saúde do Brasil, Alexandre Padilha, em declaração a imprensa, disse que o mais médicos tem segurança jurídica e que não aceitava,preconceito ideológico e boicote contra os Cubanos.


Bem-vindos  médicos estrangeiros,principalmente os irmãos Cubanos,que  além- mares escolheram a minha terra,onde a palmeira é moradia para o canto livre do sabiá ;
 aqui ele ainda gorjeia,enquanto mudo vive lá;
Brasil, rincão de mais flores, céu de mais estrelas,vida de mais amores;
Que desfrutem os primores, que não possuem lá;
Que no viver sob as estrelas, possam ser livres como o canto do nosso sabiá!
E recebam a nossa Cidadania,para "festejarmos" um dia, a liberdade que ainda não encontram  por lá!


Adaptado da Canção do Exílio de Gonçalves Dias

Por hoje é só!
Mário Augusto



CONTRARRAZÕES À MEDIDA PROVISÓRIA 621/2013
que instituiu o Programa “Mais Médicos”.




Brasília, agosto de 2013.


Senhor (a) Parlamentar,


Preocupadas com propostas que impactam o exercício da Medicina, alteram, de forma radical, o processo de formação do médico no Brasil, e comprometem a qualidade da assistência em saúde no país, as entidades médicas nacionais – Associação Médica Brasileira (AMB), Associação Nacional dos Médicos Residentes (ANMR), 


Conselho Federal de Medicina (CFM), Federação Nacional dos Médicos (Fenam) e Federação Brasileira das Academias de Medicina (FBAM) – apresentam em anexo uma série de informações sobre a Medida Provisória nº 621/2013, que instituiu o Programa “Mais Médicos”. 


Para as entidades, trata-se de medida imposta de forma precipitada e sem profícua discussão, motivo pelo qual os médicos brasileiros pedem aos Senadores e Deputados Federais a rejeição da MP 621/2013, abrindo, assim, caminho para a adoção de medidas estruturantes que resolvam, definitivamente, o problema da saúde pública.


No documento que segue, V. Ex.ª encontrará dois blocos distintos. No primeiro, constam informações sobre o aspecto demográfico da distribuição dos médicos pelo Brasil, a argumentação sobre o subfinanciamento do Sistema Único de Saúde (SUS) e suas consequências, assim como uma análise sobre os pontos frágeis (técnicos e jurídicos) da proposta do Governo. Na sequencia, as entidades apresentam uma série de sugestões de emendas aos parlamentares, elaboradas para corrigir as distorções. 


Esperamos que estes subsídios ajudem na contextualização sobre o problema e possam ser úteis na tomada de decisão em defesa do SUS, da Medicina e da saúde dos brasileiros. 


Respeitosamente,

Leia aqui:
Comitê Nacional de Mobilização das Entidades Médicas 


  Veja também:


Missão doutrina : Médicos Cubanos e a milícia secreta de Fidel e Raúl 

Comentários