Sete médicos e um enfermeiro processaram por escravidão Cuba e Venezuela

DEPOIS DE CUBA E VENEZUELA QUAL SERÁ O PRÓXIMO PAÍS?  O BRASIL ? ESPERAR PARA VER!!

EUA EM 2010

No início disse que não iria responder esse absurdo ,porém o chefe da Missão Médica Cubana , Joaquin Garcia, falou que são falsas as acusações feitas por médicos cubanos e enfermeiros que foram para Miami e processaram seu país e a Venezuela , presumivelmente , por forçá-los a trabalhar em condições de " escravidão moderna " .


Garcia foi consultado ontem por telefone, sobre o caso conhecido através da agência EFE , que teve acesso ao registro da queixa apresentada nos EUA pelos médicos Júlio César Lubián , Ileana Mastrapa , Miguel Majfud , Maria del Carmen Milanes , Frank Vargas , John Doe, Julio César Dieguez e o enfermeiro Osmani Rebeaux , que disse que não sabia , já que existe uma lista de mais de 29 000 colaboradores cubanos no país, sobre o qual ele afirmou que não tem interesse em rever para confirmar tal dados.

Perguntado por que ele acredita que essas pessoas deixaram o país respondeu secamente que " porque eles são livres . " Quanto à intenção da ação, disse que " devemos perguntar-lhes ", mas finalmente acho que obedece uma motivação econômica.
Módulo de saúde "Barrio Adentro" estão localizados em áreas populares da Venezuela


Indenização

De acordo com a ação movida sexta-feira em um tribunal federal em Miami, os autores buscam uma compensação superior a US $ 50 milhões, supostamente porque foram levados para a Venezuela " enganados" sob ameaça " e forçados a trabalhar sem limites de horas na Missão Barrio Adentro .


O chefe da Missão Médica Cubana disse que isso é algo que em seu país eles estão acostumados e que este tipo de processo , geralmente prosperam , o que não significa que Cuba cancele as indenizações.


Ele explicou que os Estados Unidos é quem paga aqueles que exercem esse tipo de ação com os recursos do governo cubano que estão congelados como parte do bloqueio.

Quanto ao trabalho que fazem os médicos cubanos atribuídos à Missão Barrio Adentro , na Venezuela , disse que é para salvar vidas e eles trabalham iguais aos médicos de todos os países.


"Eles trabalham em horários regulares , ou seja, oito horas de trabalho e há dias em que existe plantão , dependendo do número de médicos no lugar, porque cada local é diferente. Há lugares onde o plantão é físico e outros de sobreaviso" .



MISSÃO MÉDICA NA VENEZUELA: AS PRADARIAS DA CORRUPÇÃO CUBANA


Missão voluntária. 


O presidente da Associação Médica Metropolitana, Fernando Bianco, disse que todos os médicos que vieram para o país como parte do convênio Cuba - Venezuela , que começou em 2000 , o fizeram de forma voluntária e sabendo de antemão as condições econômicas oferecidas pelo país .


Ele observou que o governo venezuelano dá-lhes um subsídio igual ao do salário mínimo , além de hospedagem e alimentação , enquanto que em Cuba as famílias continuam a ter o salário que eles recebiam por seu trabalho, que ele chamou de " grande mentira " dizer que eles foram escravizados .


Por sua parte , o presidente da Federação Médica Venezuelana (FMV ), Douglas León Natera , lembrou que em várias ocasiões denunciou internacionalmente a presença de cubanos praticando ilegalmente a medicina no país, e que tal afirmação "pode ​​ser outra lacuna da fuga de capitais devido às imposições de Chávez " .


A segunda queixa de "escravidão"


A ação movida por sete médicos e um enfermeiro contra Cuba e Venezuela , nos Estados Unidos , seria a segunda que fica em um tribunal de Miami por alegada " escravidão moderna , segundo informe da agência de notícias EFE .
Em outubro de 2008 , um juiz determinou que o estaleiro Curacao Drydok Company devia compensar com US $ 80 milhões a três cubanos que alegaram que foram enviados por Cuba para trabalharem na reparação naval de barcos e plataformas marinas de Curaçao em condições " desumanas e degradantes " para pagar dívidas . O novo processo foi distribuído à juíza Patricia A Seitz .

Traduzido pelo Blog Alagoas real
Se copiar ou criar link,é obrigatório citar a fonte

DO ORIGINAL:
Jefe de Misión Cubana en Venezuela niega que médicos sean esclavos


VEJA TAMBÉM





Corrupção na Missão Milagre : Exercício ilegal da profissão,contrabando de óculos,medicamentos e associação ao tráfico 






Carta da Prisão: Relato do Advogado Juan Carlos sobre tortura praticada por policiais e uma médica Cubana




Estamos sem Médicos em Cuba - por Leonardo Calvo Cardenas - (0 comments)
O Brasil é signatário ou não? : Pacto de San José da Costa Rica (CADH) e o Programa Mais Médicos 

Comentários