Legistas enviam proposta sobre carga horária ao diretor do IML de Maceió-AL


O Sinmed encaminhou ao diretor geral do IML de Maceió, Luiz Mansur, a proposta dos nove médicos legistas efetivos para o cumprimento presencial da carga horária semanal de 20 horas, exigidas pelo Conselho Estadual de Segurança. O Conseg determinou ao Ministério Público Estadual a abertura de processo administrativo disciplinar contra os nove médicos, caso a carga horária não seja cumprida.

A intenção do Conseg é acabar com o sobreaviso. Mas de acordo com a proposta enviada ao diretor geral do IML, a carga horária presencial também vai acabar com a prática dos médicos de levarem trabalho para casa. Hoje, na falta de estrutura no IML para redigir os laudos, os legistas levam os dados dos exames para casa, onde redigem e imprimem os laudos usando seus computadores e impressoras.

No entendimento do Sinmed, com essa prática os médicos terminam trabalhando além das 20 horas semanais que o Conseg exige. Para atender à exigência, os médicos propuseram ao diretor do IML, através de ofício enviado pelo Sinmed, o cumprimento de 20 horas corridas em sistema de plantão: os médicos realizarão os exames e farão os laudos dentro do horário de trabalho.

Para viabilizar a proposta, os legistas pediram uma sala de laudos, equipada com computador e impressora (além dos insumos necessários), alojamento e segurança, com uma guarnição da Polícia Militar no local até o horário de saída do médico plantonista. Além de acabar com o sobreaviso e com o trabalho em casa, a proposta amplia o horário de realização de necropsias, que atualmente são feitas até às 18h, mas que poderão ser realizadas até às 22h.

Comentários