Pediatra escapa de missão Cubana na Nicarágua e denuncia corrupção



" Vivíamos como animais " , disse em 2011 o médico Rafael Cruz Fontirroche,  acusando de roubo o chefe da missão Cubana e os líderes da Nicarágua .


O pediatra cubano Rafael Cruz Fontirroche desertou da brigada de médicos enviada por Havana para prestar serviços em uma localidade do Caribe no Sul da Nicarágua , informou a imprensa local .


El Nuevo Diario de Manágua, disse que Fontirroche prestou serviços no município de Muelle de Los Bueyes , e fugiu depois de descobrir "atos de corrupção " supostamente cometidos pelo chefe da brigada cubana.




"Quando eu descobri que o chefe da brigada Médica estava desabastecendo os armazéns com emissão de ordens falsas, decidi denunciá-lo. Estes produtos estavam destinados à brigada médica e foram pagos pelo Ministério da Saúde, mas ele costumava usar os produtos desviados para manter um negócio bem sucedido com os líderes da Nicarágua. Quando eu descobri o furto, enviaram uma carta para me deportar para Cuba,foi nesse momento que fugi ", disse Fontirroche.



Em declarações ao jornal , o pediatra disse que o chefe da brigada , cujo nome não foi fornecido, estava usando recursos destinados ao trabalho dos médicos " para dirigir um negócio de sucesso
com os líderes da Nicarágua ".


" O diretor da Brigada emitiu ordens para retirar sabonetes , papel higiênico e outros alimentos básicos que eram para atender as necessidades médicas , mas em vez de distribuir com os médicos, ficava com ele e com outros líderes da Nicarágua , segurando um lucrativo negócio à custa das nossas necessidades " , disse o médico.

O pediatra disse que outra razão para desertar foram as más condições sanitárias em que viveu com seus companheiros e os baixos salários. Os médicos cubanos recebem em torno de 5.000 Cordobas ( cerca de US $ 228) por mês, por serviços prestados em Muelle de Los Bueyes , o que não é suficiente para cobrir as necessidades Básicas e enviar dinheiro para a família em Cuba.


" Vivemos como animais , em barracão dividido com papelão e com apenas um banheiro para 30 pessoas " denunciou o pediatra. acrescentando que profissionais cubanos eram alvos de " campanhas de difamação " dirigida por membros do partido indígena do Caribe YATAMA ( filhos da mãe terra , na linguagem Miskita ) .


Segundo Fontirroche Cruz, YATAMA considera a brigada médica cubana como um instrumento político que beneficia o presidente do país , Daniel Ortega, e do governo cubano.


Neste sentido, o pediatra admitiu que " as brigadas médicas cubanas são um instrumento de ambos os Governos " , e expressou seu medo de que sua família pode sofrer represálias na Ilha

"Cuba é uma prisão no mar onde não há possibilidade de falar nem para criticar ( ... ) A revolução cubana é um projeto social que é bom em sua essência, mas que tem sido distorcida por aqueles que estão no
poder ", disse Fantirroche .


"Eu sempre vi a brigada como uma oportunidade para sair de um sistema que não tem futuro ", admitiu o médico. " .O comunismo tem levado a uma economia de miséria e uma vida de dificuldades , com uma prostituição galopante sob a aprovação das autoridades . Tudo isso para promover a exclusividade e a qualidade da única atividade econômica que é rentável na ilha : o turismo " , disse ele.

Fontes da embaixada de Cuba em Manágua e o Ministério das Relações Exteriores da Nicarágua,
consultados pela Reuters, disse que não tinha conhecimento do caso Fantirroche .

http://www.cubaverdad.net/weblog/2011/02/pediatra-cubano-escapa-de-la-mision-en-nicaragua-y-denuncia-corrupcion/

Leia também:


30 set. 2013 ... Em 14 de fevereiro de 2011, Pedro Sevcec entrevista o médico Rafael Cruz Fontirroche refugiado cubano que denunciou a corrupção dentro ..

Comentários