Sindimed-BA : programa Mais Médicos provoca demissões na Bahia

Como foi alertado pelas entidades médicas, um dos efeitos colaterais do Programa Mais Médicos do governo federal está se verificando na prática. O Sindimed tem recebido diversas queixas de médicos demitidos em cidades do interior da Bahia, em decorrência da contratação de profissionais do Programa.

Muitos prefeitos estão se aproveitando para reduzir despesas, uma vez que o profissional oriundo do Programa Mais Médicos recebe uma bolsa paga pelo governo federal. É lamentável que a precarização do atendimento às populações se agrave ainda mais no interior, na contramão do que foi preconizado pelo governo.

Diante dos fatos, o Sindimed já oficiou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, pedindo a investigação e a correção do problema. Providências também estão sendo solicitadas ao Ministério Público da Bahia e à Procuradoria da República.

Neste momento, providências são pedidas para corrigir a situação nos municípios de Caldeirão Grande, onde os médicos Valter Luiz Couto Barbosa e Alice Kaim foram sumariamente demitidos, no dia 4 de novembro. Também estão em andamento ofícios cobrando esclarecimento para os casos de demissão imotivada da Dra. Camila Mariana de Oliveira, do município de São Felipo e da Dra. Lourdes Moreira Ruiz, de Seabra.

O Sindicato está buscando solução também para um profissional alocado pelo Programa Mais Médicos em Simões Filho, que denuncia a total falta de estrutura para trabalhar no local, onde nem água potável tem para beber. Além disso, o médico se queixa que recebeu do secretário de Saúde do município a comunicação de que não vai repassar o valor integral da bolsa a que ele tem direito.

Esses problemas também estão sendo denunciados pelo Sindimed à Organização Internacional do Trabalho (OIT).
Fonte : Sindimed-BA

Comentários