Brasil e Cuba em campanha do Mais Médicos ou Mais Cubanos?

Em setembro de 2013, site do governo cubano já anunciava que a meta de Dilma e OPAS seria de 54.000 profissionais trabalhando  no Brasil.

Padilha cogita nova contratação de cubanos da ELAM




O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou que uma nova contratação de médicos cubanos, por meio da cooperação com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), poderá ser feita nos próximos meses, para atingir a meta de 13 mil profissionais no Mais Médicos assumida pelo governo. "Se necessário, traremos. A avaliação tem sido muito positiva", disse.




Até o momento, o programa conseguiu recrutar 6,6 mil profissionais, a maioria proveniente da cooperação com a Opas. Padilha afirmou que vai esperar até início de fevereiro para verificar a adesão de profissionais brasileiros e estrangeiros com diploma validado no Brasil à chamada individual para preenchimento das vagas.

Há também a possibilidade de profissionais que concluíram o Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab), um programa que direciona médicos brasileiros para áreas consideradas mais carentes, declararem se aceitam a migração para o Mais Médicos. Os postos remanescentes, completou serão ocupados por profissionais da cooperação com governo de Cuba ou outra que possa surgir.







Leia o editorial do  Estadão publicado em 11 de janeiro de 2014- 2h09

Programa 'mais cubanos' - Estadão - 

Comentários