Críticas a Dilma por dar a Cuba milhões de dólares do povo brasileiro

Críticas a Dilma  por retirar investimentos que seriam aplicados no Brasil e dar a Cuba

Dilma Rousseff e Raúl Castro inauguram o megaporto de Mariel em 27 de janeiro de 2014




Políticos e a mídia brasileira se queixam que centenas de milhões de dólares foram transferidos para a ilha Cubana, operado em segredo, e não foram investidos em seu país. Novo crédito anunciado por Rousseff estava sendo negociado.


A presidenta do Brasil , Dilma Rousseff, na terça-feira se defendeu de comentários em torno dos grandes investimentos do governo na construção do porto de Mariel em Cuba ,que deveriam ter sido destinados para obras no Brasil.


A presidenta disse que , juntamente com o projeto de Mariel ,está se investindo no setor portuário brasileiro , e atribuiu a " falta de visão estratégica" as objeções aos empréstimos dados a Havana para o projeto da Zona de Desenvolvimento Especial de Mariel , que de acordo com ela teria sido considerada uma localização privilegiada para os negócios e a participação de empresas brasileiras como grandes fornecedoras de bens e serviços.

Por meio de seu Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social, BNDES , o governo brasileiro destinou 802 milhões de dólares para o megaporto em Cuba , mas a presidenta anunciou segunda-feira outros 290 milhões , principalmente para a construção de armazéns .



ANÚNCIO PREMATURO


A Folha de São Paulo , disse , citando o congressista democrata Luiz Henrique Mandetta , que esse novo crédito não havia recebido entrada legal entre os projetos do BNDES e ainda estava em fase de negociações a nível ministerial.

Em um comunicado segunda-feira, o Partido da Social Democracia Brasileira , PSDB , criticou o investimento do governo federal no porto de Mariel . "Os brasileiros estão indignados por mais uma viagem da presidente Dilma ao redor do mundo . Provoca indignação em Especial saber que o seu dinheiro foi usado para construir um porto moderno em Cuba " , diz o texto .

De acordo com o PSDB , " os recursos que vão para a ilha da ditadura Castrista, e também para a Venezuela chavista e outros países com notório alinhamento ideológico , são os mesmos que faltam para realizar um trabalho estrutural no Brasil, especialmente para a mobilidade urbana em nossas cidades . "

A declaração do agrupamento político observa a falta de transparência dessas operações " mantido em segredo por ordem do ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel . Várias solicitações que buscam explicações sobre o assunto foram diligenciadas pelo PSDB no Senado, mas estão bloqueadas pela bancada do PT [ governista ] Por quê? " .

Ele acrescenta que " infelizmente , sob o governo do PT , o BNDES tornou-se uma caixa preta:Ninguém sabe quais os critérios e as condições dos financiamentos,nem os objetivos estratégicos dessas operações. O que sabemos é que , nos últimos anos, o banco tornou-se uma alavanca para a produção de " campeões nacionais " e que protagoniza uma " apropriação inaceitável do dinheiro dos contribuintes brasileiros. "



CONTAS ASSIMÉTRICAS -DEMONSTRAÇÕES IRREGULARES


Em uma análise do assunto,o orgão de estudo e formação política nacional do PSDB , o Instituto Teotônio Vilela diz que Dilma Rousseff tornou-se uma mãe, mas para os cubanos , e é cuidadosamente protegida pelo manto do sigilo .

Como exemplo da disparidade entre os investimentos portuários no Brasil e no projeto de Mariel , a análise cita duas publicações do gigante sul-americano.

Conforme relatado no início deste ano, na revista Veja , o valor transferido pelo BNDES para Cuba é o triplo do que o banco tem destinado a melhorias e ampliações no Porto de Suape , em Recife, capital de Pernambuco , desde a sua inauguração em 1983.

Enquanto isso , o jornal Correio Braziliense Cidade relatou esta semana em uma entrevista sobre o assunto que dos $ 218.000.000 milhões de dólares programados para investir nos portos brasileiros no ano passado, apenas 15.500 milhões ( 7%) foram implementados .



SEGREDOS BILIONÁRIOS


A Análise do Instituto Teotonio Vilela afirma que o BNDES financia projetos de infra-estrutura em quinze países, entre eles o Metrô de Caracas , graças a um empréstimo concedido ao governo de Hugo Chávez. No entanto, três contratos ,dois com Cuba e um com Angola - foram classificadas como segredo em Junho de 2012 , por decisão do ministro Pimentel .

O texto cita José Casado, colunista de O Globo, que informou em outubro passado que essas concessões a Angola e Cuba foram manejadas secretamente e envolvem " estimativas conservadoras " de 6.000 milhões de dólares.

Segundo Casado, todos os documentos em tais transações (registros , protocolos , relatórios, notas técnicas e correspondência ) classificam-se como " secretos" e não serão publicados até 2027 . O autor observou que essa falta de transparência em um país onde esta é exigida pela ordem jurídica , não tinha ocorrida no Brasil desde o regime militar


.Questionado sobre o assunto,o presidente do banco de desenvolvimento, Luciano Coutinho, disse que o BNDES não trata essas transações (de exportação) como confidenciais, exceto em casos como esses dois, o que faz com que seja segredo " na observância da lei do país de destino dos fundos " 

Traduzido pelo Blog Alagoas real
Se copiar ou criar link,é obrigatório citar a fonte
Do Original

Critican a Dilma por dar a Cuba lo que quita a Brasil
Rolando Cartaya

Comentários