Medicina em Cuba : Governo distribuiu títulos para a Operação Milagre na América Latina

O Governo de Cuba " formou " muitos oftalmologistas sem uma preparação adequada , para uso na " operação milagre " na América Latina, e após voltarem seus principais chefes médicos não sabem o que fazer com eles por causa da comprovada incapacidade como profissionais de saúde.


CUBA


Um médico ressalta em seu testemunho fazendo um gesto de quem pega na mão do outro para que esse não toque em nada : "Não deixam eles trabalharem , são um perigo real para os pacientes e a si mesmos, não são oftalmologistas por sua incompetência , mas sim " legalmente " devido ao título recebido do governo,porém seus diretores e chefes não permitem que tenham pacientes e não fazem nada nos hospitais -a oftalmologia é uma especialidade muito delicada para improvisar oftalmologistas e o Ministério da Saúde Pública não sabe o que fazer com eles. "




18 out. 2013 ... Durante os preparativos para a festa de fim de ano, os colaboradores cubanos da saúde abriram uma cova para assar o porco no pátio da ...



A grande crise dos serviços de saúde em Cuba está intimamente relacionada com a política do estado de enviar médicos para trabalhar em outros países e deixando sem equipe médica nos hospitais e consultórios em Cuba .

O governo cubano usa essa estrutura para apoiar políticos de esquerda dos países que foram beneficiados com as missões médicas e cobra para si os salários que deveriam perceber esses médicos por seu trabalho - uma autêntica exploração moderna de trabalho escravo.

Agora " se foi a toque de caixa "que na carreira Cuba formou especialistas - e não especialistas de carreira - ocorre o paradoxo de que faltam oftalmologistas para atender ao povo, e sobram muitos oftalmologistas de mentirinhas . O mais perigoso é que o Estado para resolver o problema criado por ele mesmo, é que envie para o estrangeiro os bons especialistas.
Traduzido pelo Blog Alagoas Real
Se copiar ou criar link,é obrigatório citar fonte
Do original:
Por Jaime Leygonier/ Colabora con Hablemos Press.



Comentários