Presidente do Chile foi o único que rompeu o silêncio em Cuba

Piñera e Soler



O presidente do Chile, Sebastián Piñera, realizou uma reunião na quarta-feira 29 de janeiro, em Havana,com a líder do movimento Damas de Branco , Berta Soler, que não participou da Cúpula da Comunidade da América Latina e do Caribe (CELAC II). 

A reunião durou mais de meia hora, e entre os temas Soler falou sobre os direitos humanos na ilha e a repressão com prisão temporária antes da chegada dos presidentes .




Sobre Piñera

Miguel Juan Sebastián Piñera Echenique (Santiago, 1 de dezembro de 1949) é um economista, empresário e político chileno. Foi membro do partido de centro-direita Renovación Nacional pelo qual foi eleito presidente do Chile. Assumiu o cargo em 11 de março de 2010, sucedendo Michelle Bachelet. Pelo mesmo partido, foi senador entre 1990 e 1998, e candidato à Presidência da República nas eleições de 2005, quando foi derrotado no segundo turno pela socialista Bachelet. Em 2010 venceu as eleições presidenciais chilenas, derrotando o ex-presidente Eduardo Frei no segundo turno, em 17 de janeiro de 2010, quando obteve 51,8% dos votos contra 48,1% obtidos por Frei.1 Piñera graduou-se em economia em 1971, pela Universidade Católica do Chile. Seguiu carreira como professor de economia política até 1988. Em 1989, chefiou a campanha presidencial de Hernán Büchi, ex-ministro das finanças de Pinochet. Em 1990, Sebastián Piñera foi eleito senador, atuando na área de finanças do Senado até 1998. É dono do Chilevisión, canal de televisão transmitido nacionalmente, e possui 26% do Grupo Lan Airlines, que, dentre outras participações, é um grande acionista da ABSA, empresa de logística aérea brasileira, sediada em Campinas, estado de São Paulo. Além disso, Piñera detém 13,77% da sociedade Blanco Y Negro, que é a controladora do Colo-Colo, um dos principais times de futebol chileno.2 (Wikipédia)

Comentários