Hospitais em Cuba,Salve-se quem puder !

Cerca de 50.000 pacientes desenvolvem infecções hospitalares anualmente em Cuba. Falta água nos banheiros,sabões ,produtos de limpeza,lençóis, luvas , vassouras....

Estima-se que 50.000 pacientes anualmente pegam uma infecção nos hospitais cubanos. 16 500 poderia morrer por causa dela. É mais perigoso ir ao hospital do que voar em um avião, diz a Organização Mundial de Saúde (OMS).


Mais de oito milhões de pacientes morrem de uma infecção grave a cada ano em todo o mundo relacionados aos cuidados de saúde, o que significa aproximadamente uma pessoa a cada quatro segundos. Cada ano nos Estados Unidos 1,7 milhões adquirem infecções em hospital, levando a 100.000 mortes. Na Europa, 4,7 milhões de infecções hospitalares causam 37.000 mortes, segundo a OMS. 



Todos os anos é publicado em Cuba uma baixa taxa de mortalidade infantil na ilha, o que faz sobressair o sistema de saúde cubano. No entanto, nenhum número é publicado,da mesma forma as cifras de infectados, ou mortes causadas por infecções hospitalares, um indicador que também mede a qualidade dos serviços de saúde.

Não é considerado eficiente um hospital que tem uma alta incidência de infecções adquiridas durante a estadia de pacientes no mesmo. Apesar de não ter os dados oficiais, o Dr. Rafael Nodarse Hernández , especialista grau II em microbiologia do Hospital Militar Central Dr. Luis Diaz Soto, em Havana, afirmou no Jornal cubano de Medicina Militar,que em Cuba as infecções hospitalares afetam cerca de 50.000 pessoas a cada ano.
Hospital em Cuba


Esta afirmação parece encontrar validade em um estudo provincial do Mestre em Ciências Luis Eugenio Valdés García e Tania Leyva Miranda, do Centro Provincial de Higiene, Epidemiologia e Microbiologia de Santiago de Cuba.

Em um artigo intitulado "Prevalência de Infecções associadas a assistência sanitária em hospitais provinciais de Santiago de Cuba", publicado pelo site digital INFOMED, os Mestres afirmavam: "A província de Santiago de Cuba não escapa desta situação e, em média, entre 2500 e 3000 pessoas que ingressam nas unidades hospitalares adquirem uma infecção associada ao seu cuidado nessas unidades. Assim, durante o ano de 2011,foi registrado 2717 episódios para uma taxa de incidência de 2,4 por cada 100 pacientes hospitalares. "

Mas se olharmos com referência a mortalidade de 33 por cento por infecções nosocomiais que aponta o artigo de Ileana Frómeta Suárez,do Hospital Hermanos Ameijeiras,teríamos uma mortalidade anual de 16500 . 

Alguns médicos consultados consideram esse número um pouco alto, mas admitem que não têm idéia do número de mortes causadas por infecções hospitalares, e do número de pessoas infectadas em seus próprios hospitais.

Alguns médicos consultados consideram esse número um pouco alto, mas admitem que não têm ideia do número de mortes causadas por infecções hospitalares, e do número de pessoas infectadas em seus próprios hospitais.





Banheiro do hospital Freyre de Andrade. Foto Julio Cesar Alvarez




Higiene 


Um dos elementos envolvidos no aparecimento de infecções nosocomiais é, entre outros, o ambiente hospitalar. A higiene é o calcanhar de Aquiles dos hospitais cubanos. Não só a higiene que diz respeito aos dispositivos médicos e pessoal médico, mas essencialmente o que se relaciona os locais das instituições de saúde onde ficam os pacientes convalescentes internados, principalmente aqueles com feridas de cirurgia ou acidentes, queimaduras, etc ..

Com a maior incidência na deterioração higiênica estão aquelas instituições de saúde onde não são atendidos os dirigentes políticos ou turistas . Muitas vezes falta água nesses hospitais. Parentes de pacientes tem que carregar dos tanques habilitados para a coleta, se houver. 

Assim são os banheiros- ou tomam banho ou lavam os seus familiares doentes.Não há água para todos. Em muitas ocasiões, são as famílias que limpam as instalações , dada a falta ou negligência da equipe de limpeza. Os principais produtos são escassos, como a roupa de cama para os pacientes,as luvas para os trabalhadores de saúde, e as ferramentas de limpeza para o hospital.

A falta de higiene do local, se junta ao fator das infecções serem associadas aos cuidados de saúde principalmente através das mãos dos profissionais . Eles são os únicos que transmitem os germes quando tocam os pacientes. As Infecções também são carreadas pelas mãos dos membros da família, que muitas vezes se tornam enfermeiros improvisados ​​como uma alternativa à falta de cuidados de saúde nos hospitais de Cuba.
Hospital Calixto em Cuba






Traduzido pelo Blog Alagoas real
Se copiar ou criar link,é obrigatório citar a fonte
Do original

 Hospitales, sálvese el que pueda

Comentários