Maduro com um pé no Tribunal de Haia


Nos últimos anos, houve várias tentativas para acusar o governo venezuelano no Tribunal Penal Internacional (TPI ) , em Haia , que falharam porque o Estatuto de Roma ainda não estava em vigor ( caso 11 de abril de 2002 ) ou porque os requisitos processuais não foram cumpridos, ou porque Chávez foi astuto o suficiente para levar a cabo suas ações de uma maneira não tão aberta .


Mas, depois de 12 de fevereiro deste ano , não há nenhuma possibilidade de que Maduro e seus colaboradores possam escapar da justiça internacional. Maduro se comporta de forma tão sórdida, tão gritante , tão óbvia, que ele mesmo encheu sua própria planilha de confissão ante ao Ministério Público de Haia.

O Artigo 7 º do Estatuto de Roma estabelece como um crime contra a humanidade " qualquer dos seguintes atos, quando cometidos como parte de um ataque generalizado ou sistemático contra uma população civil ,e com conhecimento do ataque", e depois afirma: assassinato , tortura, estupro, perseguição e cárcere privado , entre outros ( http://www.derechos.net/doc/tpi.html) .

Se considerarmos apenas o caso do estado Táchira, já se cometeu todos esses crimes ; e foi realizado de forma generalizada e sistemática contra uma população civil indefesa. Maduro nem sequer tem a astúcia de esconder as atrocidades que comete , mas até anuncia publicamente em cadeia de rádio e televisão , ficando bem gravado ante qualquer tribunal internacional.

Tomemos , por exemplo, estas declarações , divulgadas via YouTube : " Se eu tiver que decretar um estado de exceção especial para Tachira , eu estou pronto para criar , e colocar os tanques, as tropas ,a aviação, colocar toda a força militar do país ,porque Tachira nós vamos preservá-la ... Eu faria qualquer coisa por Tachira " ( https://www.youtube.com/watch?v=3mxNT7FKKRQ ) . Em sua euforia, Maduro esqueceu de um pequeno detalhe : Tachira não é um teatro de guerra , mas uma população civil desarmada .

Se a isto se soma as violações em todo o país , totalmente documentados pelo Fórum Penal venezuelano e de outras organizações de direitos humanos , não há dúvida de que o Tribunal Penal Internacional deverá ser ativado em breve contra todos os envolvidos nesses crimes.

Para aqueles que fazem parte do Governo , este é o momento para meditar bem se eles vão acompanhar Maduro ao portão do cemitério , como diz o ditado popular , ou se vão se enterrar com ele . O mesmo se aplica aos aliados internacionais de Maduro,que devem refletir se vão continuar a apoiar os crimes contra a humanidade cometidos pelo governo venezuelano , ou se eles vão proteger seus próprios interesses .

Traduzido pelo Blog Alagoas real
Se copiar ou criar link,é obrigatório citar a fonte
Do original
Maduro con un pie en La Haya

Comentários