Possível cura para o Ebola pode ter sido descoberta com o medicamento ZMapp


Descoberta possível cura para o vírus Ébola
05 de Agosto de 2014, 09:41




Um novo tratamento aplicado em dois pacientes norte-americanos pode ser a resposta para travar a epidemia do vírus do Ebola, que está a assolar algumas regiões africanas.

O Ebola já matou mais de 800 pessoas na Libéria, Serra Leoa e Guiné e mais recentemente o vírus chegou à Nigéria causando três vítimas mortais.

A CNN e a Atlantic informam que dois missionários norte-americanos teriam sido salvos de uma infeção grave pelo vírus Ebola com um “tratamento miraculoso”. Esta “arma secreta” nunca tinha sido aplicada em seres humanos, mas a FDA abriu uma exceção ao abrigo de umanorma autorizando a utilização de medicamentos não testados.

Depois de infectados Kent Brantly e Nancy Writebol a saúde piorava muito depressa, tendo ambos estado em risco de vida. A farmacêutica Mapp Biopharmaceutical disponibilizou um novo medicamento chamado ZMapp que nunca tinha sido testado em seres humanos mas cujos resultados obtidos em macacos foram promissores (dos oito animais testados, seis sobreviveram à infeção).

As doses deste medicamento (ZMapp) foram enviadas para a Libéria, na esperança de restaurar as condições mínimas de saúde dos missionários para permitir o seu transporte para os Estados Unidos da América. O extraordinário foi que, em particular no caso de Kent Brantly, a recuperação surpreendeu todos. O médico esteve em risco de vida, mas no dia seguinte à administração do ZMapp conseguiu andar pelo próprio pé e até tomar banho. A recuperação de Nancy Writebol não foi tão espetacular, mas foi a suficiente para permitir o seu transporte para os EUA. Os riscos existem e, como é a primeira vez que se utiliza esta solução em humanos, ainda pode existir efeitos adversos. Mas os primeiros resultados são muito animadores, escreve o jornal online Observador.

Sapo.pt

Comentários