As viagens internacionais, porta de entrada de bactérias transmitidas por alimentos


As viagens internacionais, porta de entrada de bactérias transmitidas por alimentos


Cristina G. Pedraz


As doenças transmitidas por alimentos, como salmonela ou a listeria são uma ameaça para a saúde pública em todo o mundo por causa de sua alta prevalência e custos associados ao tratamento. Estima-se que até 30 por cento da população que vive nos países industrializados sofrem de uma doença transmitida por alimentos a cada ano e que os custos de saúde associados, no caso dos EUA, tse aproxima de 77.700 milhões de dólares anualmente.


Conforme detalham os pesquisadores liderados por David Rodríguez Lázaro, os testes têm-se centrado nos quatro principais patógenos mais freqüentemente notificados na UE: Campylobacter, Salmonella spp, Escherichia coli enterohemorrágica (ECVT) e Listeria monocytogenes. Um total de 200 amostras de alimentos de origem animal apreendidos, 20 foram positivas para Listeria monocytogenes (10 por cento do total) e 11 para Salmonella spp. (5,5 por cento), enquanto que não foi detectado Campylobacter spp. e E. coli em qualquer amostra.


A equipe também analisou a resistência aos antibióticos por estas bactérias positivas (Listeria monocytogenes e Salmonella spp.) foi considerado elevado, especialmente para a clindamicina e daptomicina (mais do que 95 por cento dos isolados). "Estes resultados indicam que as amostras de alimentos importados por viajantes na sua bagagem pessoal pode manter os genótipos mais prevalentes de L. monocytogenes,genótipos e sorotipos de Salmonella spp responsável por surtos em todo o mundo", dizem os membros da equipe de investigação.

Assim, as viagens internacionais "podem desempenhar um papel importante na prevalência e propagação de clones de bactérias patogênicas de origem alimentar ",de modo que o monitoramento contínuo do movimento internacional "é de grande importância para compreender melhor a evolução clonal ,o surgimento e a propagação de linhagens de sucesso ".


Os pesquisadores apontam que a fonte potencial de agentes patógenos transmitidos por via alimentar está aumentando, e já há canais de transmissão "esquecidos" (por exemplo, rotas transfronteiriças). Esses produtos perigosos também podem ser enviados ou trazidos como bagagem ou itens pessoais que contenham carne, leite ou produtos lácteos. Como resultado, a comercialização de alimentos não autorizados que não foram adequadamente avaliados "é um caminho negligenciado para a transmissão de patógenos de origem alimentar ."



Promise-NET

O projeto Promise-NET tem uma duração de três anos, entre 2012 e 2014, e um orçamento de três milhões de euros . O seu Objetivo é avaliar as ameaças comuns à segurança alimentar e proteger os consumidores europeus. O projeto engloba seis países membros da União Europeia (Alemanha, Áustria, Reino Unido, Grécia, Irlanda e Espanha), e outros seis de recente incorporação (Eslovénia, República Checa, Eslováquia, Romênia, Croácia e Hungria ) e há outros candidatos que desejam participar em um futuro mais ou menos próximo (como a Turquia). O único parceiro espanhol é a Universidade de Burgos.


Editado e traduzido pelo Blog Alagoas Real.
Se copiar é obrigatório citar a fonte original,e o Blog Alagoas Real,com seus links anexos!

Referência bibliográfica:
Rodríguez-Lázaro, D., Ariza-Miguel, J., Valcarce, M. D., Stessl, B., Beutlich, J., Fernández-Natal, I., ... y Rovira, J. (2014). “Identification and molecular characterization of pathogenic bacteria in foods confiscated from non-EU flights passengers at one Spanish Airport”. International Journal of Food Microbiology.

http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0168160514005200

Comentários