Venezuela : Mais de 200 casos de difteria em seis estados


A Sociedade Venezuelana de Saúde Pública emitiu o seu sexto aviso sobre a doença e não só confirmou o caso de Caracas mas também afirmou que a difteria já atingiu seis estados.  Monagas, Sucre, Anzoátegui, Apure, Bolívar e Miranda são os mais afetados.
Hospital Domingo Luciani




Em Caracas, a paciente é uma mulher de aproximadamente 30 anos, cujo vizinho trabalha em mineração no estado Bolívar - "pioneiro" no retorno à doença no país , e trabalha em uma instituição pública, onde você tem contato com várias pessoas ao dia. Isso preocupa os médicos porque poderia representar um "fracasso previsível dos mecanismos de bloqueio epidemiológico realizado pelo Ministério da Saúde ". Embora o caso de Apure não tenha mais mais detalhes, sabe que ele foi fatal.


Estes são apenas dois "casos bandeira", entre muitos outros . Até setembro deste ano o valor era de 86, mas cresceu na faixa entre 200 e 300, ". Não há precisão do número de casos confirmados e mortes , " principalmente devido ao silêncio epidemiológico que vive o país.


Desde que a doença entrou no país, a Federação Médica tem relatado que a causa é a baixa cobertura vacinal de penta 3 -a única prevenção - Um documento do Ministério da Saúde revela que no estado de Bolivar apenas 42% das crianças foram vacinadas contra a difteria.. Ou seja, cerca de 1.766.156 pessoas estão dependendo da boa sorte e dá "proteção de Deus" contra o surto.


Tanto este documento e o alerta emitido pelas ONGs concordam que os estados que estão em maior risco são: Amazonas, Bolívar, Monagas, Delta Amacuro, Zulia, Carabobo y Barinas. Amazonas é o mais grave, com apenas 24% da população vacinada. Tendo em conta a percentagem de vacinação ( 24%) e o mais recente censo populacional ,pode concluir que quase cinco milhões de pessoas são suscetíveis a ter difteria. De acordo com o documento, a metade destas são as crianças.


A Sociedade Venezuelana de Saúde Pública descobriu que cerca de 2 milhões deles devem ser vacinados com pressa, uma vez que vivem em municípios de alto risco. Eles também devem receber reforço de vacinação aqueles com mais de 10 anos depois de ter sido imunizados e "nada menos do que 500.000 trabalhadores e profissionais de saúde."


O documento também exorta as autoridades de saúde no país para melhorar a sua política de comunicação, garantindo que já se vão oito meses desde que o primeiro caso foi registrado e "não ofereceram informação completa,oportuna nem contínua sobre a situação de risco que representa esta enfermidade reemergente. 


Eles também sugerem que se realize com rapidez uma campanha de vacinação para "reduzir o medo, equívocos, a incerteza e a discriminação comuns em qualquer epidemia. O primeiro passo será quebrar o silêncio oficial e reconhecer a gravidade do problema de saúde ".

"Não é mais possível esconder a magnitude e a extensão territorial da epidemia de difteria na Venezuela, pelo silêncio oficial mantido ou declarações oficiais que afirmam erroneamente", que é uma questão regional sob controle ' ", conclui o documento.

Traduzido e editado pelo Blog Alagoas real
Se copiar ou criar link,é obrigatório citar a fonte
Do original e o blog ALAGOAS REAL
http://efectococuyo.com/principales/se-registran-mas-de-200-casos-de-difteria-en-seis-estados-del-pais

Comentários