3/10/2017

EUA preocupado com o alto risco de Urbanização da Febre Amarela no Brasil


 surto de febre amarela no Brasil 


Um surto de febre amarela no Brasil  está levantando preocupações  que a doença possa se espalhar pelas fronteiras , como o Zika, dizem dois especialistas em saúde  o Dr. Anthony Fauci, do Instituto de Alergia e Doenças Infecciosas e sua colega Dra. Catharine Paules  em um ensaio publicado no New England Journal of Medicine.


Os especialistas acreditam que a propagação da doença possa se assemelhar à do vírus Zika, que surgiu no Brasil em 2015 e depois se espalhou para mais de 60 países, incluindo os EUA,

O atual surto de febre amarela começou em dezembro, em áreas rurais do Brasil, e números superam as taxas normais para esta época do ano.

A maioria dos casos está agrupada no lado oriental do país, principalmente nos estados de Minas Gerais, Espírito Santo e São Paulo.

Até o dia 2 de março, o vírus já matou cerca de 220 pessoas, de acordo com uma atualização da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). A agência de saúde também contou 326 casos confirmados e 916 casos suspeitos da doença.

A taxa de letalidade para este surto é de 33% para casos confirmados e 11% para casos suspeitos.

Embora o surto tenha permanecido em áreas rurais, alguns aglomerados de casos estão próximos de centros urbanos, incluindo o Rio de Janeiro, onde as pessoas vivem em comunidades mais densas e, na maioria das vezes, não foram vacinadas contra a febre amarela.

"Esta proximidade levanta a preocupação de que, pela primeira vez em décadas, a transmissão urbana da febre amarela ocorrerá no Brasil", escreveram os autores.

Traduzido e Editado
Se copiar é obrigatório citar o link do Blog AR NEWS

História Fonte:
http://www.nejm.org/doi/ref/10.1056/NEJMp1702172##t=references

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Faça seu comentário