3/29/2017

Febre Amarela : A vacinação é a mais importante medida de controle


Medidas de Controle e Vigilância da Febre Amarela- Ciclos Urbano e Silvestre






VIGILÂNCIA



A ocorrência de casos humanos suspeitos e/ou confirmados, de epizootia ou a comprovação de circulação viral em vetores, são importantes para adoção das medidas de controle, portanto a notificação desses eventos deve ser imediata, pela via mais rápida. 


De humanos - 

  • As medidas importantes são a vigilância das enfermidades que fazem diagnóstico diferencial com a febre amarela e a vigilância sanitária de portos, aeroportos e passagens de fronteira, com a exigência do certificado internacional de vacina, com pelo menos 10 anos da última dose aplicada para viajantes procedentes de países ou área endêmica de febre amarela. 

De primatas não humanos - 

  • Iniciar as medidas de controle a partir da observação de um macaco morto ou doente. 


De vetores silvestres - 

  • A medida indicada é a captura destes mosquitos nas áreas de ocorrência de caso humano suspeito e/ou de epizootias, ou em locais de monitoramento da circulação viral, visando se proceder ao isolamento do vírus amarílico. 

MEDIDAS DE CONTROLE

• A vacinação é a mais importante medida de controle. É administrada em dose única e confere proteção próxima a 100%. Deve ser realizada a partir dos nove meses de idade, com reforço a cada 10 anos, nas zonas endêmicas, de transição e de risco potencial, assim como para todas as pessoas que se deslocam para essas áreas. Em situações de surto ou epidemia, vacinar a partir dos seis meses de idade. 

• Redução da população do Aedes aegypti, para diminuir o risco de reurbanização; 

• Notificação imediata de casos humanos, epizootias e de achado do vírus em vetor silvestre; 

• Vigilância de síndromes febris íctero-hemorrágicas; 

• Desenvolver ações de educação em saúde e informar as populações das áreas de risco de transmissão.

Editado
Se copiar é obrigatório citar a fonte
Do original e o link do blog ALAGOAS REAL


Fonte: Doenças Infecciosas e Parasitárias: Guia de Bolso

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Faça seu comentário