4/09/2017

Febre Amarela : Epizootia segue o caminho das matas e não respeita fronteiras

Mapa da ecorregião da Mata Atlântica do Brasil definida pelo WWF. A linha amarelo escuro representa os limites dessa ecorregião. Imagem de satélite da NASA.


"A ocorrência de casos humanos suspeitos e/ou confirmados, de epizootia ou a comprovação de circulação viral em vetores ( mosquitos Haemagogus,Sabethes ) são importantes para adoção das medidas de controle, portanto a notificação desses eventos deve ser imediata, pela via mais rápida. " DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS GUIA DE BOLSO,MINISTÉRIO DA SAÚDE 

"Todavia, se a epizootia dos macacos se alastrar pelas matas de galeria dos estados de São Paulo ou do Espírito Santo e chegar às matas do litoral dos estados da Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, onde vivem milhões de pessoas e grandes grupos populacionais de macacos, teremos o segundo pior cenário, que é a necessidade de vacinar em pouco tempo milhares de pessoas a fim de prevenir centenas de casos graves e mortes, podendo ainda ocorrer a eliminação completa de populações de espécies de primatas em risco de extinção. 


Mas o pior cenário é aquele em que ocorre a urbanização da febre amarela, quando o vetor transmite nas cidades o vírus de pessoa a pessoa com grande velocidade, efetividade e alta letalidade. Nesse caso, seria necessário vacinar milhões de pessoas em pouco tempo, com risco de muitos efeitos adversos e possibilidade de crise social. Mas é melhor nem pensar por enquanto nesse cenário caótico, principalmente quando vemos os serviços públicos sendo sistematicamente depreciados e desconstruídos. " Pesquisador Paulo Chagastelles Sabroza, da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (1)




"Até 1999, a vigilância da febre amarela era pautada exclusivamente na ocorrência de casos humanos. A partir daquele ano, com a observação de mortes de macacos em vários municípios de Tocantins e Goiás e o subseqüente aparecimento da doença na população, tais eventos passaram a ser vistos como sinalizadores de eventual risco (evento sentinela) de casos humanos de febre amarela silvestre.


Em sua imensa maioria, as mortes de macacos não têm como causa a febre amarela, mesmo assim, em todas as situações são desencadeadas medidas de proteção da população residente nas localidades afetadas, em especial, a vacinação da população não vacinada. Quando a ocorrência de mortes de macacos está relacionada a uma mesma causa, como a febre amarela, é denominada epizootia. MS do Brasil " Mortes de macacos e a prevenção da febre amarela no Brasil, 2007 e 2008 (2)



"Nos municípios dos estados afetados pelo surto de Febre Amarela, o limite entre a área urbana e a zona rural, em sua grande maioria só é definido geograficamente.( Na maioria das vezes as áreas rurais e urbanas não são facilmente identificáveis, em razão da grande integração que tem ocorrido entre elas.) O IBGE define como situação urbana as áreas correspondentes às cidades (sedes municipais),às vilas (sedes distritais) ou às áreas urbanas isoladas. A situação rural abrange toda a área situada fora desses limites. Este critério é, também, utilizado na classificação da população urbana e rural." Blog AR NEWS em 04/02/2017 na postagem : Febre Amarela Urbana e/ou Silvestre ? : Brasil vive o caminho silencioso de uma Epidemia Nacional (3)




"Por que era obrigatório vacinar até a divisa de Minas e do Espírito Santo e não no Espírito Santo? O vírus vai perceber que é a divisa e vai parar? Não, isso não vai acontecer. Toda a região de mata atlântica entre Minas e o Espírito Santo deveria ser vacinada - e agora o Rio de Janeiro. Posteriormente, a mata atlântica em São Paulo. O mosquito não respeita fronteiras." Entrevista"O mosquito não respeita fronteiras", diz especialista em febre amarela (4)



Editado
Se copiar é obrigatório colocar o link do Blog AR NEWS

FONTES:
(1)http://www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/site/materia/detalhe/41250
(2)http://www.fiocruz.br/ioc/media/notatecnicaMSdoc.doc
(3)https://alagoasreal.blogspot.com.br/2017/02/febre-amarela-urbana-eou-silvestre-brasil0vive-caminho-silencioso-epidemia-nacional.html
(4)https://alagoasreal.blogspot.com.br/2017/04/a-estrategia-de-vacinacao-esta-seguindo-mais-as-divisas-estaduais-do-que-os-biomas.html

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Faça seu comentário