4/03/2017

Mais de dois mil casos notificados de Febre Amarela : riscos e eficácia do fracionamento da vacina


A Eficácia da dose fracionada da vacina da febre amarela precisa ser comprovada



O ministro da saúde afirmou que a diluição da vacina “significa um conforto à população. Estamos atendendo a uma ansiedade”. Ricardo Barros Ministro da Saúde do Brasil





A frase do ministro da saúde no mínimo é absurda ,quando inserida no contexto atual para que um profissional da área interprete a mesma como conduta a ser aceita. Utilizar procedimentos que envolvem a vida humana, por critérios não científicos, meramente conforme a frase dita, para atender a um anseio do ponto de vista emocional, é inaceitável . Recordo que por inúmeras vezes tinha solicitações aflitas e por vezes intimidatórias de mães para prescrever eritromicina para tratamento de infecção urinária ( Pielonefrite) em crianças, que educadamente explicava do não atendimento do pedido, por não ter efeito a droga para aquela patologia, mesmo com as ameaças, e xingamentos de uma população que não tem a devida assistência do Governo, e que culpa os médicos por suas falhas.







A última atualização do MS sobre Febre Amarela é de 23 de março de 2017 ( 
Letalidade atual de 32,92 %)




O Ministério da Saúde atualizou as informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde sobre a situação da febre amarela no país em 23 de março e foram confirmados 492 casos da doença. Ao todo, foram notificados 2.104 casos suspeitos, sendo que 1.101 permanecem em investigação e 511 foram descartados. Dos 277 óbitos notificados, 162 foram confirmados, 95 ainda são investigados e 20 foram descartados. Vale destacar que o mês de janeiro registrou o maior número de casos da doença.




A dose Fracionada ( Diluída)

Existe a possibilidade do Governo Brasileiro de fracionar a vacina contra a febre amarela para que uma única dose possa “render” cinco aplicações. 


Cada ampola, contém atualmente 10 doses para vacinar 10 pessoas. Conforme a proposta do Ministro, após a diluição teremos 50 doses, e consequentemente com essa diluição irá vacinar 50 pessoas.

A Eficácia da dose fracionada da vacina da febre amarela precisa ser comprovada



Na epidemia que ocorreu na África em 2016, o quadro foi bem diferente do que está ocorrendo atualmente no Brasil. Hoje, conforme as informações do Governo Brasileiro, o surto epidêmico é estritamente do tipo Silvestre com envolvimento do vetor Haemagogus, e não do Aedes. Em Angola e no Congo, a epidemia ocorreu em área Urbana, onde o mosquito Aedes foi responsabilizado pela transmissão.



Durante essa epidemia de febre amarela em Angola devido a diminuição da oferta global de vacinas, levou a OMS a época a adotar medidas de redução de dose para a sua campanha de vacinação em Kinshasa, na República Democrática do Congo, em Julho e Agosto de 2016. 

Embora uma vacina fracionada em 5 vezes seja semelhante em relação a segurança e imunogenicidade da vacina com sua dose-padrão , porém a sua eficácia não foi testada. Há uma necessidade urgente de assegurar a robustez da vacinação por dose fracionada através da elucidação das condições em que o fracionamento da dose reduziria a transmissão. (1)


A solução Emocional X A solução Científica


Diante dessa "solução" ofertada pelo Ministro da Saúde do Brasil, conforme suas palavras, (a diluição da vacina “significa um conforto à população. Estamos atendendo a uma ansiedade”),há suposto caráter emocional, mas sob minha ótica existem evidências com propósito de conter as despesas do País, em detrimento a saúde de um povo. Portanto as perguntas que ficam são :



  • A população ficará realmente protegida por apenas 1 ano ou menos, e não por 10 anos como acontece com a dose que não foi fracionada?
  • Com as mazelas sociais ( Falta de habitação,água tratada, saneamento básico, de políticas públicas preventivas para combate as doenças emergentes, será que o surto epidêmico daqui a um ano já estará debelado?!
  • Já existem comprovações científicas da eficácia da diluição da vacina contra a Febre Amarela ?


É interessante complementar a leitura do texto, com uma outra postagem escrita por mim em 22 de fevereiro de 2017, intitulada : 

Causas da manutenção e progressão do surto epidêmico e algumas medidas para conter o avanço da febre amarela



Por hoje é só !

Maceió 03 de abril de 2017

Mário Augusto





Fontes:

Estudo realizado :Joseph T Wu, PhD
Correspondence information about the author PhD Joseph T Wu PhD Joseph T Wu, 
Corey M Peak, MS, 
Prof Gabriel M Leung, MD, 
Prof Marc Lipsitch, DPhil
(1) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27837923 e http://thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(16)31838-4/fulltext

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Faça seu comentário