Mapa do MS mostra áreas de Alagoas com epizootias em ( PNH) em investigação para Febre Amarela

MAPA MOSTRA ÁREAS DO ESTADO DE ALAGOAS COM EPIZOOTIAS AINDA EM INVESTIGAÇÂO PARA FEBRE AMARELA


Distribuição geográfica das epizootias em primatas não humanos suspeitas de febre amarela notificadas à SVS/MS até 27 de abril de 2017.



Até 27 de abril de 2017, foram notificadas ao Ministério da Saúde 3467 epizootias em Primatas Não Humanos (PNH), das quais 1367 permanecem em investigação, 88 foram descartadas e 474 foram confirmadas para febre amarela por critério laboratorial ou vínculo epidemiológico com epizootias em PNH ou casos humanos confirmados em áreas afetadas (municípios com evidência de circulação viral) e ampliadas (municípios limítrofes àqueles afetados), com envolvimento de 5150 animais. Não estão incluídas no mapa as epizootias consideradas indeterminadas

Distribuição geográfica das epizootias em primatas não humanos suspeitas de febre amarela notificadas à SVS/MS até 27 de abril de 2017, com data de ocorrência a partir de 01 dezembro de 2016, por município do Local Provável de Infecção (LPI) e classificação. (MAPA 1)


(Mapa 1 )do Brasil - Epizootias
Clique no MAPA para ampliar
Áreas em VERMELHO - Epizootias confirmadas para Febre Amarela 
Áreas  em AZUL - Em investigação para Febre Amarela 

Não estão incluídas no mapa as epizootias consideradas indeterminadas



MAPA AMPLIADO MOSTRA ÁREAS DO ESTADO DE ALAGOAS COM EPIZOOTIAS AINDA EM INVESTIGAÇÂO PARA FEBRE AMARELA



MAPA 2 - Alagoas - áreas com epizootia em investigação para Febre Amarela

 Distribuição geográfica das epizootias em primatas não humanos suspeitas de febre amarela notificadas à SVS/MS até 27 de abril de 2017, com data de ocorrência a partir de 01 dezembro de 2016, por município do Local Provável de Infecção (LPI) e classificação. (MAPA 2)

Clique no MAPA 2 para ampliar
Áreas em VERMELHO - Epizootias confirmadas para Febre Amarela 
Áreas  em AZUL - Em investigação para Febre Amarela 

Não estão incluídas no mapa as epizootias consideradas indeterminadas




GLOSSÁRIO – FEBRE AMARELA


Definição de Epizootia de primata não-humano com suspeita de FA:


Primata não humano de qualquer espécie, encontrado morto (incluindo ossadas) ou doente, em qualquer local do território nacional. 


Os eventos notificados devem ser classificados em:


1) Epizootia de primata não-humano “em investigação”: Morte de macaco, constatada em investigação local, com coleta de amostras do animal objeto da notificação ou com coleta de amostras secundárias na investigação (amostras de primatas remanescentes da área, contactantes do animal doente ou morto). Adicionalmente, a investigação na área do Local Provável de Infecção (LPI) pode reunir amostras indiretas para contribuírem na investigação, tais como vetores para pesquisa de vírus, casos humanos sintomáticos ou indivíduos assintomáticos não vacinados, identificados na busca ativa. 


2) Epizootia em primata não-humano confirmada para FA por critério laboratorial: 


Epizootia em primatas não humanos com resultado laboratorial conclusivo para a FA em pelo menos um animal do LPI (aplicam-se as mesmas técnicas utilizadas em amostras de humanos). 


3) Epizootia em primata não-humano confirmada para FA por vínculo epidemiológico:


Epizootia em primatas não humanos associada a evidência de circulação viral em vetores, outros primatas não humanos ou humanos no LPI. Devem ser considerados o tempo e a área de detecção, avaliando caso a caso, em conjunto com as Secretarias Estaduais de Saúde (SES) e a Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS). 


4) Epizootia em primata não-humano indeterminada: Rumor do adoecimento ou morte de macaco, com histórico consistente, sem coleta de amostras para diagnóstico laboratorial. Incluem-se nessa classificação aqueles eventos em que a investigação epidemiológica não reuniu amostras para investigação da causa da epizootia. 


5) Epizootia em primata não-humano descartada: Resultado laboratorial negativo para FA ou com confirmação por outras causas.

Editado 
Se copiar é obrigatório citar a fonte
Do original e o link do blog ALAGOAS REAL


Fonte: MS último INFORME –/2017 em 28 de abril de 2017

Comentários