A história que não se conta sobre as Constelações Familiares

A história que não se conta sobre as Constelações Familiares
A história que não se conta sobre as Constelações Familiares


As constelações familiares estão na moda. Na Internet é possível encontrar centenas de centros e de pessoas que as oferecem para tratar e entender todos os tipos de distúrbios e doenças não especificadas. Até mesmo alguns psicólogos medianamente sérios surpreendem as vezes seus clientes com esta técnica que, quando é analisada, provoca uma mistura de surpresa e espanto. Apesar de ser generalizada e sua análise de interesse para ambos os profissionais psicólogos e pensadores críticos ansiosos para desvendar a mudança dos iluminados charlatões, verifica-se que eles têm atraído pouca atenção em nosso ambiente. A verdade é que não há praticamente nada publicado em castelhano com criticas as bases instáveis de constelações familiares, embora na Alemanha, seu país de origem, a literatura é abundante e avassaladora.



Neste texto, gostaria de discutir esta prática. Começando a contar a sua história incrível, alguns dos seus fundamentos, e terminando com os problemas de normas científicas e éticas. Esta é a minha intenção que você começe a prestar atenção a uma prática pseudoterapêutica bastante desprezível tecnicamente e que também detém certos perigos na prática. Uma prática que, como de costume no mundo surreal de psicoterapias populares, muitas vezes passam a vaguear sem qualquer regulamentação ou oposição crítica.




A constelação familiar das constelações familiares




A história das constelações familiares é muito semelhante ao da Nova Medicina Alemã, e estão intimamente relacionadas com a Decodificação Biológica . O trailer é um filme mil vezes visto: um iluminado não treinado ... umas ideias malucas sacadas da manga ... problemas legais em todos os lugares ... e um bando de idiotas que seguem ... logo no pior dos teatros e centros de  xamanismo de sua cidade.


Vamos ao princípio. Porque no começo de tudo, Deus criou o céu e a terra; e no princípio das constelações familiares estava ele: Bert Hellinger. Era uma vez um cavalheiro alemão cujos seguidores gostam de apresentá-lo como um defensor da liberdade e dos direitos humanos desde a infância. Mas a verdade é que, como jovem selvagem que foi, lutou no lado nazista na Frente Ocidental. Na verdade, e à luz das suas pequenas intervenções posteriores , se manteve até hoje um pouco nazista. Durante esses primeiros anos, ele foi preso pelos Aliados na Bélgica, onde terminou em um campo de prisioneiros de guerra a partir do qual ele escapou.



Após sua experiência como combatente nazista, Bert decidiu se tornar um sacerdote. Ele estudou teologia, um pouco de filosofia que é o que todo bom sacerdote deve saber, e um pouco de pedagogia para trazer descarreados e ímpios para o rebanho do Senhor. E assim foi, porque Bert foi destinado para a África do Sul com a finalidade de converter ao catolicismo os Zulus, que a época eram um grupo de pagãos pecadores que este cavalheiro alemão acreditava que devia iluminar com o dom da civilização ocidental e da palavra de Deus. A verdade é que, de acordo com as fofocas, Bert não foi muito eficaz, e de fato acabou engolido pelo panteísmo dos Zulus, deixando de lado as escrituras da Bíblia em troca de uma visão ainda mais mística da realidade. Talvez fosse o resultado de alucinógenos e transes hipnóticos dos rituais em que participou, algo que não é totalmente claro. De qualquer forma, ele acabou deixando a ordem a que pertencia e voltou para a Alemanha depois de seu estro Africano.


O Senhor alemão vai para Viena, onde estudou psicanálise e torna-se um fervoroso seguidor da versão junguiana desta prática pseudo-terapêutica. Bert também viaja para os EUA, onde ele assistiu e participou de uma dinâmica de grupo que Ruth McClendon e Les Kadis faziam. Bert viu o nicho de mercado. Um termo tirado de Adler -'constelações familiares'-, um pouco de Virginia Satir, algo de psicanálise junguiana, uma série de princípios totalmente inventados , uma dinâmica de grupo que dão origem a uma sugestão forte, e pronto: Habemus pseudoterapia. Hoje, este cocktail com adições de 'campos mórficos' de Rupert Sheldrake e alguma memória celular - é chamado as constelações com o hiper pomposo nome de ' abordagem fenomenológica-sistêmica-transgeracional'.




Os machos das cavernas e a origem de todos os males


Como qualquer teoria maluca deste tipo, não poderia faltar um monte de logorreia pseudo-científica. Neste caso o que encontramos são as distorções da história evolutiva humana, arqueologia e antropologia cultural. A ideia básica é que os conflitos não resolvidos de nossos ancestrais são transmitidos de geração em geração, que nos causam problemas quando presentes e somatizados na forma de distúrbios e doenças. Então, para resolver e entender essas questões, devemos fazer uma série de exercícios dinâmicos e que normalmente envolvem a interpretação de papéis ou representações com figuras ou letras para representar a nossa família até voltar várias gerações. Depois de um teatro com forte conteúdo da sugestão em que as pessoas choram e são submetidas às vezes a exercícios localizamos o problema que nos afeta. Este problema, - por exemplo, um aborto de nossa avó ou um luto mal tratado pelo nosso tio seria o motivo que está causando problemas no nosso casamento que não está indo bem, e nos levam a depressão ou até mesmo a ter um tumor, e que poderia ser resolvido com um pouco mais de teatro e caras sérias.


Esta ideia é a base da organização tribal dos grupos humanos do Paleolítico. Esta estrutura social, conjecturada por Hellinger, foi baseada em patriarcados fortes, onde o filho mais velho era o herdeiro e a ordem social foi definida previamente segundo a linhagem de cada um. Este é o 'estado de natureza'. Um momento feliz onde cada um estava em seu lugar e não havia conflito. Supõe-se que, neste momento histórico grupos humanos foram completamente isolados um dos outros, o que contraria a evidência arqueológica que prova a existência de grandes culturas paleolíticas- até a chegada do nefasto neolítico. Aqui, os grupos se reuniram,e criaram as cidades , a discórdia nasceu, a presunção de querer mais e o individualismo. Assim houve quebra do estado de natureza e a tragédia começa.


Haveria então uma tensão inerente em nossas famílias. Por um lado a ordem 'natural', o paleolítico, e, de outro , o modelo da atual família que nos empurra contra o natural a romper com a família do bem, entrando em dinâmicas destrutivas que geram todos os tipos de transtornos, incluindo médicos. Como vemos, há uma clara falácia naturalista no argumento de Hellinger, um "é, então você deve'. Que a família paleolítica tenha sido assim -algo altamente duvidoso, dada a enorme plasticidade das estruturas sociais humanas- serve a Hellinger para justificar seu conceito obsoleto de família, e para responsabilizar aqueles que transgridem com a culpa por seus problemas e doenças.


A maneira em que os problemas são transmitidos de geração em geração é uma ideia bastante rara e estranha, uma vez que seria um mecanismo mágico à margem da ciência. É uma espécie de telepatia metafísica que faz com que os membros de grupos familiares possam se comunicar, compartindo fins e sentimentos. Estaríamos conectados com a nossa família, desta forma, e por esta razão, embora nem nós nem ninguém na família saiba de nada, que nossa avó abortou quando tinha 21 anos isso poderia nos afetar igualmente. Deste ponto nasceu o vínculo atual das constelações com as ideias de Sheldrake e a memória celular- lembre-se que a única evidência que suporta como 'memória celular' é o processo de diferenciação celular em culturas histológicas, que faz que algumas das cópias geradas na mitose tenham certos fatores de transcrição que expressam genes que seus clones não expressam; um fenômeno amplamente estudado em culturas de células e embriologia, que nada tem a ver com as memórias de antepassados e muito com a especialização celular.


A concepção que tem Hellinger da família ideal é digna de Game of Thrones. Na verdade, ele falta dizer que o segundo filho tem que ir para a guerra, o terceiro ser um monge, e as filhas manter sua virgindade para arranjos familiares. A partir desta noção medieval de família desenvolve os princípios que devem reger o que deveria ser uma família modelo com indivíduos saudáveis. Por exemplo, quem leva mais tempo tem prioridade; que o pai deve ser o chefe de família e tomar as rédeas; não estar em uma hierarquia familiar adequada enfraquece o todo; todos devem subordinar seus interesses aos interesses do grupo, mesmo tendo que se sacrificar ou sacrificar os outros. Assim deste modo , os indivíduos arrogam, compensam e expiam seus familiares, atuais ou ancestrais,de forma consciente ou inconscientemente.




Mulheres culpadas, criminosos de guerra e um monte de juízos


As Constelações familiares de Hellinger tornaram-se moda em todo o mundo, onde as pessoas são levadas por pessoas não qualificadas para trabalhar em ambientes de saúde, não colegiados e, portanto, não regidos por qualquer código de ética ou supervisionado por qualquer instituição de saúde. Isso leva a nenhuma proteção dos consumidores desta suposta terapia, porque nós não devemos esquecer que, afinal de contas, o terapeuta está oferecendo um produto na forma de um ato médico. Lembre-se que  o próprio guru, Hellinger, não tinha nenhuma formação médica, e, no entanto, tem um centro onde trata centenas de pessoas e pontifica impunemente.


Embora seja verdade que muitas das pessoas que fazem terapia de constelações familiares indicam que só se aplicam a pessoas saudáveis com doenças não especificadas - em tela não é lícito o uso legal do termo 'terapia'-, há uma enorme quantidade deles lidando com doenças graves. E não apenas depressão. Ofertam Constelações como adjuntos à quimioterapia e como uma forma de 'compreender' o câncer, e até mesmo como um tratamento para a anorexia. No caso da anorexia, por exemplo, explicações que vão desde o jovem somatizar a fome passada por seus ancestrais, até que ele desenvolva esse distúrbio alimentar, porque ele quer salvar um membro da família que tem uma doença que ainda não se desenvolveu, mas que ele já percebeu inconscientemente.


As Constelações familiares não estão isentas de controvérsias e problemas legais. Hellinger é conhecido na Alemanha por sua absolvição de Hitler, de fato, vários de seus estudantes seguem o neonazismo , com livros como Almas Confundidas. E é visível que as constelações familiares tem grande sucesso, afinal,porque na descarga total de responsabilidades do indivíduo: ninguém é culpado por seus problemas. Você tem câncer de pulmão? Não é por fumar desaforadamente, é porque seus avós tiveram uma separação desagradável. Não consegue encontrar um parceiro? Não é porque você está fazendo algo errado, é que você está expiando um fracasso amoroso da juventude de sua mãe. A posição de Hellinger é que Hitler não era uma pessoa má, mas uma vítima de sua constelação familiar.

As Constelações familiares consideram a homossexualidade uma doença causada por algum problema não fechado da família, estigmatizando um traço não-patológicao na personalidade como se sentir sexualmente atraído por pessoas do mesmo sexo. Se isso não bastasse, outro dos principais problemas desta pseudoterapia é a enorme quantidade de misoginia e machismo presentes. Em terapia de casais com constelações familiares quase sempre é ela quem está fazendo a coisa errada. Um exemplo extremo encontramos na maneira que se caracterizam os abusos sexuais de um pai a sua filha. Vamos ler o próprio Hellinger- em um de seus fragmentos mais preocupantes e perturbadores:




"Se você é confrontado com uma situação de incesto, uma dinâmica muito comum é que as mulheres não tem cumprido com suas obrigações com o marido, ela se recusa a ter relações sexuais. Então, como compensação, a filha toma o seu lugar ... Como se vê, no incesto há dois autores, um na sombra e um ao descoberto. Você não pode resolver o problema, a menos que veja à luz do perpetrador escondido ... A filha diz a sua mãe, "eu fiz isso por você." E ela pode dizer a seu pai "Eu fiz isso por mamãe" ... Se você quer parar o (incesto), esta é a melhor maneira, sem acusações. Se por acaso levar o agente à justiça, a vítima vai sofrer pelo que foi feito ao agressor. "




E é assim que as constelações familiares exoneram um pai que abusou sexualmente de sua filha, carregando a culpa na mãe-caracterizada como uma esposa frígida e ruim. Pregando que para resolver a situação o estuprador não deve ser levado perante um tribunal, e que a única terapia que a criança precisa é assumir que "ela fez", também carregando a sua culpa e, aliás, humilhando-a.

Tudo é tão extremo, que a terapia para estes casos envolve um jogo de dramatização pública em que alguém personifica o estuprador. A mulher que foi violada tem de se ajoelhar na frente dele, para agradecer seu agressor por ter sido capaz de viver essa experiência com ele, e pedir desculpas por tê-lo culpabilizado. A escritora Elisabeth Reutter, que sofreu abuso na infância, diz que quando foi submetida a este desempenho sentiu que estava sendo despojada dos últimos resquícios de dignidade humana .
Nas palavras de Hellinger: "O autor deve receber" o devido respeito "antes que a vítima possa estabelecer uma relação com outra pessoa. "

As pessoas que se sentiram ultrajadas pelas performances das constelações familiares, e que foram sugestionadas a fazer coisas que tiveram sua dignidade injuriada, estão na casa dos milhares. Há uma série de decisões judiciais, especialmente na Alemanha, onde tudo isso é levado muito a sério. Há casos até mesmo documentados de suicídios devido a nenhuma experiência em saúde daqueles que jogam com a mente e os problemas das pessoas.



Observações finais



  • Lembre-se do ponto 18 do código de ética dos psicólogos: "Sem prejuízo da legítima diversidade de teorias, escolas e métodos, ele /ela psicólogo/a não utilizará meios ou procedimentos que não sejam já utilizados suficientemente, dentro dos limites do conhecimento científico em vigor. No caso de investigações para fazer provas técnicas ou novos instrumentos, ainda não confirmados ,é dever informar a seus clientes antes de sua utilização ".
  • As Constelações familiares nunca estiveram sob qualquer protocolo experimental sério. Não obstante é uma atividade que vai além de uma masturbação mental com base em ideias bizarras de um homem sem formação médica e que também pode ser contraproducente e até mesmo humilhante. Por essa razão, nenhum psicólogo que faz parte de um conselho  pode fazer uso  em consulta. Isto constituiria uma violação do código de ética que rege a profissão, e  causa  processo perante a Comissão deontológica   de Ética de seu conselho. Ela pode ser causa até mesmo do cancelamento profissional, levando a ser  excluído de exercer legalmente a profissão.
  • As Constelações familiares não têm nenhum respaldo científico. Elas não curam nada. São desagradáveis. Elas são o resultado de uma  doutrinação sectária formada em torno de um guru. Elas perpetuam uma visão familiar e social reacionárias . E seu uso é proibido por profissionais competentes. Portanto, muito cuidado. Se a pessoa que está fazendo terapia para resolver quaisquer problemas oferece este tipo de prática, não hesite em deixar a consulta e colocar nas mãos de um verdadeiro profissional: você está diante um trapaceiro.


Por Angelo Fasce




Editado e traduzido
Se copiar é obrigatório citar o link do Blog AR NEWS


Sobre o autor :

Fonte:https://lavenganzadehipatia.wordpress.com/acerca-de/
Angelo Fasce


Ele é um filósofo da ciência e aprendiz neurocientista .
Licenciado em filosofia (UV)
Mestre em lógica e filosofia da ciência (USAL, UV)

Mestrado em Neurociências Básicas e Aplicadas (UV)
Pesquisador em CUNY (Nova York, EUA) e da Universidade de Ghent (Bélgica).

Atualmente, está fazendo um PhD em Lógica e Filosofia da Ciência (UV) sobre a natureza da ciência como um processo cognitivo, e o desenvolvimento de um critério de demarcação entre ciência e pseudociência.Você pode entrar em contato com Angelo via e-mail -angelofasce@hotmail.com-


Mário Augusto rated 5 out of 5 based on 4 Clients Public reviews. Visit Blog AR NEWS page for the reviews and contact.

Comentários