Em Alagoas, todo o caso suspeito de Febre Amarela deve ser comunicado imediatamente ao CIEVS

Em Alagoas, todo o caso suspeito de Febre Amarela deve ser comunicado imediatamente ao  CIEVS


alagoas fa
Alagoas-Febre Amarela

Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde – CIEVS / AL


Caso suspeito de febre amarela


à É a pessoa que apresenta quadro febril agudo (até 7 dias), de início súbito, acompanhado de icterícia e/ou manifestações hemorrágicas, nos últimos 15 dias, não vacinado contra febre amarela ou com estado vacinal ignorado, residente ou procedente de área de risco para a doença ou proveniente de locais com registro de epizootia confirmada em primatas não humanos ou com isolamento de vírus em mosquitos vetores.

Por se tratar de doença grave com risco de dispersão para outras áreas do território nacional e mesmo internacional, todo o caso suspeito deve ser comunicado imediatamente, por telefone e e-mail, ao Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde – CIEVS que recebe informações:
Em plantão 24 horas pelo telefone (82) 98882-9752;
De domingo a domingo, no horário de 8 às 17 horas, pelo telefone (82) 3315-2059, ou
Pelo email: notifica@saude.al.gov.br,

A notificação deve ser feita pelo profissional de saúde, por meio do preenchimento da Ficha de Investigação de Febre Amarela, do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan).


O mosquito vetor e a febre amarela

Na área urbana a doença é transmitida pelo Aedes aegypti. Na mata, os mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes transmitem o vírus.

Mesmo não havendo registro de transmissão urbana do vírus da febre amarela, a presença de pessoas que podem ter se infectado nas áreas endêmicas junto com a presença do Aedes, muito comum em nosso Estado, é um grande risco, daí a importância e a necessidade de manter e reforçar a adoção das medidas fartamente recomendadas de eliminação dos possíveis criadouros do mosquito.

Para mais informações

Contatar na SESAU:
Endereço: Avenida da Paz 1068, Jaraguá, Maceió-AL
Danielle Cristine Castanha

Gerente de Vigilância e Controle das Doenças Transmissíveis

3315-1151
Carlos Eduardo

Assessoria em Vetores e Fatores Ambientais

3315-3774
Núbia Lins

Área Técnica das Arboviroses

3315-1683


A vacinação contra a febre amarela

Como Alagoas não faz parte da área endêmica, ou seja, da área de risco, a vacinação somente deve ser buscada quando a pessoa (criança ou adulto) dirigir-se às áreas endêmicas, seja para residir, seja em viagem. Nesses casos a pessoa deve tomar a vacina dez (10) dias antes da viagem. Nessas situações a pessoa deve procurar uma unidade de saúde e apresentar comprovação de viajem para estas localidades.

No Brasil[1] os locais de risco são os Estados da Região Norte e Centro-Oeste, bem como parte da Região Nordeste (Estado do Maranhão, sudoeste do Piauí, oeste e extremo-sul da Bahia), Região Sudeste (Estado de Minas Gerais, oeste de São Paulo e norte do Espírito Santo) e Região Sul (oeste dos Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul).

A recomendação do Ministério da Saúde, portanto, é buscar a vacinação quando se dirigir para esses locais que são chamados Áreas Com Recomendação de Vacina (ACRV). Após a vacinação, é fornecido o Cartão Nacional de Vacinação, que deve ser conservado como documento pessoal.

Nessa condição, o Programa Nacional de Imunizações – PNI, do Ministério da Saúde, recomenda um esquema de duas doses, tanto para adulto quanto para criança. A criança deve receber a 1ª dose aos 9 meses e a 2ª aos 4 anos de idade. Para quem não tomou as doses na infância, a orientação é tomar uma dose da vacina e outra de reforço, dez anos depois da primeira. Lembrando que a vacina deve ser dada sempre 10 dias antes da viagem.

A SESAU disponibiliza a vacina contra febre amarela para todos os municípios e em Maceió as pessoas, nessa condição encontra o produto em 10 serviços de saúde: 

  • (i) Posto de Saúde Oswaldo Brandão Vilela, na Ponta da Terra; (ii) 2º Centro de Saúde, na Praça da Maravilha; (iii) Posto de Saúde São Vicente, no bairro Pinheiro; (iv) Posto de Saúde Hamilton Falcão, no Benedito Bentes; (v) Posto de Saúde Tereza Barboza, no Eustáquio Gomes; (vi) Posto de Saúde João Paulo II, no bairro Jacintinho; (vii) PAM Dique Estrada, no Vergel; (viii) PAM Bebedouro; (ix) Posto de Saúde do José Tenório; e (x) Posto de Saúde da Pitanguinha.

FONTE
Texto da
Saúde AL

Comentários

Recentes