Sinal de Frank: um preditor de doença arterial coronariana

  Sinal de Frank: um preditor de doença arterial coronariana

Sinal de Frank Orelha esquerda.


Os vincos diagonais nos lóbulos das orelhas são conhecidos como sinais de Frank , em homenagem a Sanders Frank, um médico americano que descreveu pela primeira vez o sinal. Estudos mostraram que há uma associação com o vinco externo visível no lóbulo da orelha e o risco aumentado de aterosclerose, uma doença em que a placa de gordura se acumula dentro de suas artérias.


O sinal de Frank. foi descrito pela primeira vez em 1973- supõe-se que o sinal de Frank seja um preditor dermatológico da doença arterial coronariana, com associação significativa de aumento de doença cardíaca isquêmica e infarto do miocárdio observado em um estudo prospectivo . O estresse circulante oxidativo provocado por radicais livres foi postulado como possível explicação para as alterações dermatológicas e aumento da espessura médio-intimal dos vasos sanguíneos. O sinal de Frank está associado ao envelhecimento, mas é um sinal no exame físico de útil diagnóstico em adultos com menos de 60 anos de idade.

Sinal de Frank Orelha direita.


  • O sinal de Frank é um vinco diagonal do lóbulo da orelha que se estende 45º para trás, do tragus até a aurícula, que se supõe ser um preditor de doença aterosclerótica.
  •  Grande estudo prospectivo populacional mostrou associação significante do sinal de Frank com aumento dos riscos de cardiopatia isquêmica e infarto do miocárdio. Mostra a possibilidade de ser fator de risco independente e pode predizer gravidade para doença arterial coronariana.
  •  Correlações clínicas confiáveis ​​que predizem a aterosclerose são necessárias para identificar pacientes em risco. O sinal de Frank tem utilidade sendo um sinal no exame físico de diagnóstico em adultos com menos de 60 anos de idade.

Fonte: NCBI
Editado e traduzido
Se copiar é obrigatório citar o LINK da postagem do Blog AR NEWS

Comentários

Recentes