Droga antiviral explora fraqueza na cepa Influenza A H3N2

Droga antiviral explora fraqueza na cepa Influenza A (gripe) H3N2


Uma droga antiviral que está sendo desenvolvida na UCSD inibe a replicação do genoma da gripe por ligação a íons de manganês, mostrada aqui em roxo (Crédito: Christine Morrison)
Uma droga antiviral que está sendo desenvolvida na UCSD inibe a replicação do genoma da gripe por ligação a íons de manganês, mostrada aqui em roxo (Crédito: Christine Morrison)

Mais de 65.000 americanos foram vítimas da gripe A H3N2 nesta temporada, de acordo com o Centers for Disease Control. E essa cepa particular do vírus da gripe provou ser notavelmente resistente à vacinação, porque ela freqüentemente sofre mutação depois que a vacina foi formulada.


Os tratamentos antivirais podem ajudar a conter o vírus após a infecção?


Uma equipe de pesquisadores liderada pela Universidade da Califórnia em San Diego desenvolveuuma pequena molécula que eles acreditam que poderia enfraquecer ou mesmo parar o H3N2 em suas trilhas. Ele funciona explorando uma falha no mecanismo que o vírus usa para replicar, de acordo com a equipe, que apresentou suas pesquisas no 255º Encontro Nacional e Exposição da American Chemical Society (ACS) em Nova Orleans.


Muitos patógenos replicam usando o DNA de seus hospedeiros, mas não o H3N2. Em vez disso, usa sua própria enzima chamada RNA polimerase dependente de RNA. Essa enzima consiste de três subunidades, uma das quais é vital para a replicação e depende dos íons metálicos de manganês, relataram os cientistas. Eles descobriram que, se pudessem desenvolver uma droga que se liga a dois desses íons, eles poderiam interromper a capacidade do vírus de se reproduzir e se espalhar.


Comentários

Recentes