Celebrando a independência de Israel: uma história de esperança, coragem e liberdade


Israel
Israel

Celebrando a independência de Israel: uma história de esperança, coragem e liberdade



Theodor Herzl, o pai do sionismo moderno, disse: “Se você quiser, não é um sonho”.



Hoje, 121 anos depois daquele histórico Primeiro Congresso Sionista em Basiléia, o Estado de Israel não é mais apenas um sonho. É uma realidade viva e próspera!

Hoje, não somos mais apátridas, não mais sem voz e não mais sem um lar nacional.

Hoje, a nação judaica recuperou nossa independência, nossa soberania, nosso exército e controle de nosso destino.

Embora o Estado moderno de Israel seja um jovem de 70 anos , o povo judeu tem uma conexão ininterrupta e inseparável com a Terra de Israel, que remonta a milênios.

Muitas vezes esquecemos que também temos uma história, uma história profundamente envolvente.


A nossa é uma história de esperança, coragem e liberdade.

É a história de um povo que foi exilado de sua casa e espalhado por todos os cantos da terra.


Por 3.000 anos nós estávamos sujeitos a perseguição,e finalmente, o Holocausto, mas nunca perdemos a esperança.


Nós nos recusamos a sucumbir ao ódio e ao desespero.

Mesmo através dos capítulos mais sombrios de nossa história, permanecemos inabaláveis ​​em nosso anseio de Retornar a Sião e reconstruir um Estado-nação em nossa pátria ancestral.

Alimentados pela fé, determinação e tradições consagradas pelo tempo, voltamos àquela pátria e criamos um estado judeu próspero baseado nos ideais de liberdade, democracia e estado de direito.

Uma pátria para todo o povo judeu.

Uma capital unificada na cidade santa de Jerusalém.


Um exército forte, capaz de frustrar qualquer inimigo próximo e distante que possa tentar prejudicar o Estado de Israel e o povo judeu.

Uma antiga língua revivida.

Onde não temos que temer andar nas ruas vestindo nossas kipá ou celebrando festas judaicas.


Inovação, tecnologia e criatividade dinâmica que é verdadeiramente a inveja do mundo.

Nós nos tornamos uma fonte de inspiração para os defensores da esperança e da dignidade humana, servindo como um modelo para todos aqueles que lutam por seu direito inalienável à autodeterminação, assim como fizemos.

E tudo isso foi conseguido contra adversidades insuperáveis, contra inimigos que ainda hoje se recusam a aceitar nossa própria existência!

Em 1886, 11 anos antes do Primeiro Congresso Sionista, que deu origem à idéia do Estado judeu moderno, e 62 anos antes de sua realização real, Naphtali Herz Imber, um poeta judeu da Ucrânia, assinou a letra do poema Tikvateinu (“ Nossa esperança").

Em 1948, esse sonho tornou-se realidade e esse poema tornou-se o hino nacional do Estado de Israel.

Hoje, o povo judeu está novamente livre em nossa terra - a terra de Sião e Jerusalém.

Fonte:
Editado e traduzido
Arsen Ostrovsky é o diretor executivo do The Israeli-Jewish Congress (IJC).







Comentários

Recentes