Doença de Haff : síndrome que consiste de rabdomiólise não explicada

A doença de Haff foi inicialmente relatada na região báltica em 1924, sendo definida como rabdomiólise não explicada em uma pessoa que consumiu pescado nas 24 horas que antecedem início dos sintomas. Desde a primeira publicação, foram relatados surtos de doença de Haff na Suécia, na antiga União Soviética, nos Estados Unidos, Brasil e China. A doença de Haff é uma síndrome clínica rara. Seu prognóstico é bom quando o paciente recebe tratamento em tempo hábil. Este artigo relata um caso grave de doença de Haff complicado por falência de múltiplos órgãos, como consequência da ingestão de pescado.

Doença de Haff complicada por falência de múltiplos órgãos após ingestão de lagostim

Tomografia computadorizada demonstrando alterações com sombreamento de baixa densidade, exsudação e edema em tecido muscular (grande dorsal e músculo subescapular, músculo psoas maior, iliopsoas, grande glúteo e músculos abdominais) acompanhados de bordas musculares indefinidas.

A doença de Haff é uma síndrome que consiste de rabdomiólise não explicada. Pacientes que apresentam a doença de Haff relatam ter ingerido pescado nas últimas 24 horas antes do início da doença. A maioria dos pacientes sobrevive apresentando breve recuperação.

A doença de Haff é uma rara síndrome clínica que é, às vezes, mal diagnosticada. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado são essenciais para prevenir a progressão para falência de múltiplos órgãos.


Surto de Doença de Haff na Amazônia Brasileira



A etiologia da doença de Haff ainda é obscura. Uma possível causa envolve uma toxina biológica termoestável desconhecida que se acumularia no alimento implicado; contudo, essa toxina não foi até aqui identificada. Essa possível toxina biológica seria a causa da rabdomiólise, da disfunção renal e de anormalidades da coagulação, lesando o fígado, o sistema respiratório e o trato gastrintestinal. A lesão da musculatura estriada leva à mialgia, à fraqueza e à rigidez muscular em todo o corpo. A retenção de dióxido de carbono e a insuficiência respiratória ocorrem em razão da fraqueza da musculatura respiratória. Quando a suspeita é de doença de Haff, o tratamento adequado deve ser iniciado o quanto antes, para prevenir a deterioração das condições do paciente. A TC pode ser realizada como um método indolor e não invasivo, para confirmação do diagnóstico de doença de Haff.


Se copiar ou criar link,é obrigatório citar a fonte
Do original e o blog ALAGOAS REAL

Fontes:

http://www.medscape.com/viewarticle/566906_3
http://www.readcube.com/articles/10.5935/0103-507X.20140062
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400407



Comentários

daisy cunha disse…
Meu irmão morreu Outubro do ano passado, laudo dizia: rabdomiolise indeterminada, foram 34 dias com muitas dores, exames eram feitos toda hora e ele acabou morrendo no quarto do hospital. Não sabemos o qfoi q aconteceu,ele morreu sem saber o q tinha. Foram dias angustiantes. Não consigo me confirmar com uma morte tão rápida de alguém q era saudável