Morte de macacos (PNhumanos) sinaliza a circulação do vírus nos corredores florestais dentro de áreas urbanas

Morte de macacos (PNhumanos)nas grandes cidades do Brasil sinaliza a circulação do vírus(Febre Amarela) nos corredores florestais dentro de áreas urbanas


*PNhumanos=PNH(Primatas Não Humanos)

Recentemente os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) emitiram um alerta de Nível 2 para o Brasil devido a um grande surto de febre amarela em curso em áreas das grandes cidades. Um alerta de Nível 2 significa que os viajantes devem tomar precauções extras antes de irem para áreas infectadas, como se vacinar contra certas doenças,dentre elas a Febre Amarela.
Mapa da ecorregião da Mata Atlântica do Brasil definida pelo WWF. A linha amarelo escuro representa os limites dessa ecorregião. Imagem de satélite da NASA. 


No seu último boletim da Febre Amarela(21/03/2018 , o Ministério da Saúde do Brasil disse:



"o vírus da febre amarela hoje circula em regiões metropolitanas do país com maior contingente populacional, atingindo 34,8 milhões de pessoas que moram, inclusive, em áreas que nunca tiveram recomendação de vacina." 


"A ocorrência de casos humanos suspeitos e/ou confirmados, de epizootia ou a comprovação de circulação viral em vetores ( mosquitos Haemagogus,Sabethes,aedes ) são importantes para adoção das medidas de controle, portanto a notificação desses eventos deve ser imediata, pela via mais rápida. "




O Pesquisador Paulo Chagastelles Sabroza, da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca disse em abril de 2017 que :

"se a epizootia dos macacos se alastrar pelas matas de galeria dos estados de São Paulo ou do Espírito Santo e chegar às matas do litoral dos estados da Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, onde vivem milhões de pessoas e grandes grupos populacionais de macacos, teremos o segundo pior cenário, que é a necessidade de vacinar em pouco tempo milhares de pessoas a fim de prevenir centenas de casos graves e mortes, podendo ainda ocorrer a eliminação completa de populações de espécies de primatas em risco de extinção. Mas o pior cenário é aquele em que ocorre a urbanização da febre amarela, quando o vetor transmite nas cidades o vírus de pessoa a pessoa com grande velocidade, efetividade e alta letalidade. Nesse caso, seria necessário vacinar milhões de pessoas em pouco tempo, com risco de muitos efeitos adversos e possibilidade de crise social. Mas é melhor nem pensar por enquanto nesse cenário caótico, principalmente quando vemos os serviços públicos sendo sistematicamente depreciados e desconstruídos. "




"Nos municípios dos estados afetados pelo surto de Febre Amarela, o limite entre a área urbana e a zona rural, em sua grande maioria só é definido geograficamente.( Na maioria das vezes as áreas rurais e urbanas não são facilmente identificáveis, em razão da grande integração que tem ocorrido entre elas.) O IBGE define como situação urbana as áreas correspondentes às cidades (sedes municipais),às vilas (sedes distritais) ou às áreas urbanas isoladas. A situação rural abrange toda a área situada fora desses limites. Este critério é, também, utilizado na classificação da população urbana e rural." 


A única pergunta que fica diante deste cenário apresentado no Brasil é se o ciclo da Febre Amarela já é Urbano e/ou Silvestre , e se o país já se encontra há muito tempo a beira de um  caminho silencioso de uma Epidemia Nacional

Comentários

Recentes